Monday, October 26, 2015

A "ideologia de gênero" no ENEM.

Bruno Braga.



Todo professor sabe que não pode cobrar em prova uma matéria que não deu em sala de aula. Para o governo comuno-petista, a moral é outra. No Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) deste ano - realizado no último fim de semana - a questão 05 da prova de Ciências Humanas levantou a bandeira da "ideologia de gênero" e exigiu dos alunos conhecimento sobre o assunto (Cf. imagem abaixo).


Mas, o caso não é apenas de matéria não dada em sala de aula. É mais grave. Trata-se de matéria vedada nas escolas. No ano passado, o Congresso Nacional impediu a inclusão da "ideologia de gênero" - por conta de suas teses absurdas e disparatadas - do Plano Nacional de Educação (PNE). Inconformado, o governo comuno-petista resolveu desacatar. Inseriu a matéria no Documento Final do CONAE-2014 (Conferência Nacional de Educação) - ato que foi objeto de denúncia na Câmara dos Deputados [1]. E mais. Para fugir dos holofotes da política e dos debates nacionais, lançou mão da estratégia ardilosa de tentar nas sombras incluir a "ideologia de gênero" nos planos estaduais e municipais de educação. Estratégia traiçoeira e ilícita que levou o cidadão comum à Assembleia Legislativa do seu estado, à Câmara de Vereadores de sua cidade para afastar - na maioria esmagadora dos casos, com sucesso heroico - o nefasto projeto de engenharia social e comportamental comuno-feminista-gayzista das escolas.

A questão do ENEM é uma afirmação do governo: vai impor a "ideologia de gênero" de qualquer forma, nem que seja necessário passar por cima do Congresso Nacional, pisar as leis e cuspir na vontade da própria população. Na "Pátria Educadora" comuno-petista a moral é outra: prevalecem os princípios dos delinquentes que a proclamaram. 


***


"Ninguém nasce mulher: torna-se mulher". Em vez de iniciar uma discussão sobre a tese exposta na prova do ENEM - basta o seu absurdo auto-evidente -, é importante colocar alguns dados biográficos da sua proponente: Simone de Beauvoir (1908-1986). Eles podem ser úteis até para contestar as teses da feminista louvada no exame comuno-petista, uma vez que ela fazia parte de um círculo intelectual que pregava a prioridade da "existência" sobre a "essência".



[...] "ela não possuía nenhuma das fraquezas de Sartre, EXCETO O HÁBITO DE MENTIR.

"Apesar disso tudo, essa mulher brilhante e de espírito vigoroso tornou-se uma SERVA de Sartre desde quase o primeiro encontro deles E CONTINUOU ASSIM POR TODA A SUA VIDA ADULTA ATÉ MORRER. Ela serviu a ele como amante, esposa substituta, cozinheira e administradora, guarda-costas feminina e enfermeira, sem ter obtido nenhum outro 'status' legal ou financeiro em sua vida. Em linhas gerais, Sartre não a tratava melhor do que Rousseau em relação a Thérèse; tratava-a pior, porque ele era flagrantemente infiel. NOS ANAIS DA LITERATURA, EXISTEM POUCOS CASOS PIORES DE UM HOMEM QUE EXPLORA SUA ESPOSA. ISSO É AINDA MAIS SURPREENDENTE PORQUE SIMONE DE BEAUVOIR FOI UMA FEMINISTA DURANTE TODA A SUA VIDA. Em 1949, ela descreveu o primeiro manifesto moderno do feminismo, 'O segundo sexo', que vendeu bastante pelo mundo afora. As palavras que abrem o livro, 'On ne nait pas femme, on la devient' ('Não se nasce mulher, torna-se mulher'), são uma citação consciente da abertura do 'Contrato social' de Rousseau. BEAUVOIR, NA VERDADE, FOI A PROGENITORA DO MOVIMENTO FEMINISTA E DEVE, POR DIREITO, SER SEU SANTO PATRONO. PORÉM, EM SUA PRÓPRIA VIDA ELA NÃO FEZ JUS A TUDO O QUE ISSO REPRESENTA.

[...]

"Porém, como Beauvoir ensinava a alunas muito mais adequadas, ERA ENTRE AS ALUNAS DELA QUE ELE [Sartre] ESCOLHIA A MAIOR PARTE DE SUAS VÍTIMAS; na verdade, BEAUVOIR PARECE TER ACEITADO, NESSA ÉPOCA, O PAPEL DE CAFETINA. Ela também, em seu confuso desejo de não ser excluída do amor, criou seus próprios relacionamentos íntimos com as garotas. Um deles foi com Nathaline Sorokine, filha de exilados russos e a melhor aluna de Beauvoir no Lycée Molière, em Passy, onde lecionou durante a guerra. Em 1943, os pais de Nathaline fizeram ACUSAÇÕES FORMAIS CONTRA BEAUVOIR POR TER RAPTADO UMA MENOR, UMA SÉRIA TRANSGRESSÃO CRIMINAL QUE PODIA ACARRETAR UMA SENTENÇA DE PRISÃO. Amigos dos dois intervieram e eles por fim desistiram da acausação criminal. MAS BEAUVOIR FOI EXPULSA DA UNIVERSIDADE E TEVE A LICENÇA, QUE LHE PERMITIA DAR AULAS EM QUALQUER PARTE DA FRANÇA, CASSADA PELO RESTO DA VIDA".

In JOHNSON, Paul. "Os Intelectuais". Imago: Rio de Janeiro, 1990. pp. 258; 261.

Sobre o a militância de Simone de Beauvoir em prol da PEDOFILIA, leia: VÂLSAN, Lucian. "Simone de Beauvoir: Nazista, pedófila, misândrica e misógina" [http://www.vistadireita.com.br/blog/simone-de-beauvoir-nazista-pedofila-misandrica-e-misogina/].

No vídeo abaixo, Simone de Beauvoir - na companhia de seu amante, Jean-Paul Sartre, e de outros "intelectuais" - é recebida na União Soviética. Feminista prestigia o regime comunista, que transformava mulheres em escravas sexuais dos membros da "nomenklatura", que exterminava milhares delas nos Gulags.



REFERÊNCIAS.

Monday, October 12, 2015

O petista e a "saída" para a crise política.

Bruno Braga.
[Comentário]
 
 
 
Diante de tantos escândalos, só mesmo um petista de carteirinha para se prestar ao papelão de defender a quadrilha que tomou de assalto o país. Mas, será que, mesmo assim, a cara não queima? Não, se o petista for Dimas Enéas. O bravo caradura se propõe, não só a proteger os seus cupinxas, mas a analisar uma "saída" para a "crise política" gerada pelos seus próprios correligionários.
 
O interessado pode ler o artigo de Dimas Enéas no site pro-PT "Barbacena Mais" [1]. Como esclarece a nota final, o texto foi redigido a partir de um debate que ocorreu na UFMG. Na Universidade que ultimamente tem se destacado nas páginas dos jornais como "boca de fumo", local para a venda de abortivos, para a promoção de protesto pelado de "revolucionários" LGBT-gayzistas e realização de uma tal "Oficina de Siririca" [2]. O curioso é que tudo isso - que deixa espantado qualquer um com o mínimo de bom senso - faz parte da agenda do partido do senhor Dimas Enéas: ABORTO - ASSASSINATO DE CRIANÇAS INOCENTES -, LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS e IDEOLOGIA DE GÊNERO na educação de crianças e jovens. Bom, se as ocorrências escabrosas não são capazes de quebrar no imaginário das pessoas o mito da Universidade como "Templo do Saber" - sobretudo o das "federais" -, poderiam pelo menos fazê-las suspeitar de que nem tudo o que se produz ali - e com dinheiro público - tem um compromisso efetivo com o conhecimento. É o caso do próprio artigo de Dimas Enéas.
 
O texto tem aquele estilo afetado, a marca própria de ambientes de auto-ensebação acadêmica, onde apenas "iniciados" e militantes estão à altura de compreender a "sublime" tipificação do governo Lula: "modelo de estado fordista fundado numa espécie de neoclientelismo a partir do próprio estado".
 
Para não perturbar excessivamente os "não-iniciados" com outros jogos conceituais, com estereótipos e chavões que pouco ou nada dizem, é salutar ir direto à chave de leitura do artigo. Ela está na conclusão, na qual Dimas Enéas declara que nem tudo está perdido. Para o petista, a "crise política" seria uma oportunidade para "fortalecer um fenômeno social de conscientização política de classes" - o que significa colocar tudo dentro da lente marxista da "luta de classes".
 
A consequência da iniciativa é a distorção dos fatos e a denúncia de uma série de alucinações paranoides. É a artimanha para defender os cupinxas. O leitor pode notar que, no texto, o PT, o "lulismo", a Presidente Dilma - "coitadinhos" - são sempre "vítimas", ou do PMDB, ou da "bancada ultra conservadora do Congresso Nacional", do "jornalismo", de "lideranças políticas neopopulistas" e, claro, das "classes abastadas".
 
Com relação a estas, Dimas Enéas se supera. Das duas, uma: ou é caso de pura má-fé ou sintoma de esquizoidia aguda. Na cabeça do petista, os "escândalos de corrupção" alimentam o "ódio" das "classes abastadas". Como o "governo" nunca as "beneficiou", então elas lançam a calúnia de que se "rouba dos cofres públicos para sustentar um projeto de poder". O leitor que ainda tem pelo menos o dedão de um dos pés na realidade certamente irá se questionar: "eu realmente li isso?"
 
Ora, não é alarde ou invencionice das tais "classes abastadas", são autoridades policiais e judiciais que diariamente revelam os mecanismos do amplo esquema comuno-petista e confirmam a trama para a perpetuação no poder. O "mensalão" foi apenas uma pequena amostra disso - aos poucos as suas extensões estão sendo reveladas, entre elas, na Petrobrás e no BNDES.
 
Dimas Enéas fala em "ódio". Mas, sem um referencial, sem um exemplo sequer do que ele denuncia como "a velha direita racista e conservadora brasileira", parece que é ele mesmo quem, no ato da invenção de "inimigos" malignos para encenar a quixotesca "luta de classes", derrama espuma pelos cantos da boca. E não é por acaso, pois o "ódio" está na essência da "luta de classes". Se o leitor tiver alguma dificuldade em concebê-lo em termos teóricos, basta olhar para os seus efeitos concretos. Para os regimes comunistas, que na sua batalha de "redenção da humanidade" e defesa do "povo" foram - e são - a maior e mais eficiente máquina de produzir cadáveres, miséria e opressão.
 
Para concluir, é interessante olhar para a data de hoje. Certa vez, Dimas Enéas escreveu que Nossa Senhora Aparecida é um mito imaginário criado pela Igreja Católica para fortalecer o poder político do Vaticano no Brasil [3]. Naquela oportunidade, ele desprezou a história e os fatos. Mas, é ele mesmo quem agora tenta lançar uma nuvem "ideológica" para ofuscar as ações daqueles com os quais tem um vínculo partidário. O petista não mede esforços, contorcionismos e afetações acadêmicas para proteger o projeto comuno-petista de poder. É a típica estratégia leninista: acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é. Em meio às dificuldades do momento, os brasileiros celebram a padroeira do país em uma festa de devoção e piedade. No entanto, para Dimas - que também é professor e sindicalista - a "crise política" é a oportunidade perfeita para pregar a "luta de classes", para disseminar o "ódio" que ele diz condenar.
 
REFERÊNCIAS.
 
 
[2]. "A 'Pátria Educadora' comuno-petista: abortismo, pedofilia e gayzismo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/a-patria-educadora-comuno-petista.html].
 
[3]. Cf. "PETISTA afirma: Nossa Senhora Aparecida é uma criação da Igreja Católica" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/06/petista-afirma-nossa-senhora-aparecida.html].

Sunday, October 11, 2015

A Igreja Católica e as expropriações castristas.

Paulino Afonso.


Cubanet, 08 de Outubro de 2015.
Tradução. Bruno Braga.
 

Havana, Cuba - Como no mês passado tivemos uma visita papal em Cuba, isso me fez recordar uma das primeiras medidas descaradas e absurdas de Fidel Castro: a expropriação, em 1961, de todos os centros privados de educação cubanos, entre eles, os colégios católicos.
 
Pregaram nas expropriações a etiqueta de nacionalização, muito em voga na época, embora nenhum desses centros fosse estrangeiro, nem produto de malversações do regime de Batista.
 
Todos os centros educacionais privados, católicos ou laicos, foram postos sob o controle do Estado com o objetivo de "criar o novo homem", que, claro, deveria ser ateu.
 
Creio ser oportuno referir-me a isso, tanto para os jovens que não conhecem o assunto como para servir de recordatório para os velhos sem memória ou que não queiram recordá-lo.
 
Antes de 1959, Cuba era um país formalmente católico. Apesar de se respeitar a liberdade de culto, é inegável que essa religião estava enraizada no povo cubano em geral.
 
Para atender à educação dos filhos da comunidade católica de vários estratos sociais, foram criadas aproximadamente 80 escolas católicas em Cuba, nas quais eram ministradas aulas do primário ao pré-universitário.
 
Na capital havia mais de 20. Em Santiago de Cuba, o principal era o "Colegio Jesuita de Dolores".
 
Relacionarei apenas algumas das principais escolas católicas de Havana: a "Universidad Católica Santo Tomás de Villanueva", a escola jesuita de "Belén" (onde estudou Fidel Castro), os colégios dos "Hermanos Escolapios", o dos "Hermanos Maristas", "La Salle", o do "Sagrado Corazón de Jesús", a escola para meninas e jovens das "Hermanas Ursulinas" e a "Academia Militar San Ignacio de Loyola".
 
Uma vez que estes centros foram construídos em momentos distintos da história republicana, não é fácil determinar o valor da expropriação.
 
Tenha-se em conta que em todas essas edificações trabalharam as melhores e mais caras companhias construtoras que havia em Cuba.
 
De acordo com os processos de construção, e consultando velhos mestres de obra, o custo pode ser estimado em pelo menos 45 milhões de dólares da época, cujo valor com relação ao atual é de oito para um.
 
Se for somado o mobiliário, os equipamentos próprios para a docência e os insumos que essas escolas tinham no momento da confiscação, o valor total deve subir consideravelmente. Pode ser estimado em 70 milhões de dólares da época. Isto só nos centros da capital listados acima.
 
Neste levantamento não estão relacionados os inumeráveis conventos que foram confiscados das diversas ordens de religiosos e religiosas, nem a escola de ofícios, custeada com patrocínio popular, que era conhecida como "Ciudad de los Niños".
 
Situada nas alturas de Bejucal, ao sul de Havana, a "Ciudad de los Niños", no ano de sua expropriação, durante a crise dos mísseis, em 1962, foi transformada em base militar soviética. Depois, por décadas, hospedou uma brigada da defesa aérea.
 
Aparentemente, a Igreja Católica ignorou as perdas econômicas com as expropriações, já que nunca, em nenhuma das visitas papais, foram mencionadas. Se o fez, foi sob sigilo absoluto.
 
Este parece ser um assunto esquecido pelo Vaticano. Ou será que a Cúria perdou essa dívida de Fidel Castro? Se assim for, pode ser considerado um verdadeiro gesto de boa fé.
 
 
LEITURA RECOMENDADA.
 
BRAGA, Bruno. "Francisco: Fidel e a Religião" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/francisco-fidel-e-religiao.html].
______. "Raúl Castro dá ao Papa uma "calurosa bienvenida" comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html].
______. "Betto, o 'Senhor Ministro', o 'papa' Boff e os comunistas cubanos no Céu" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/betto-o-senhor-ministro-o-papa-boff-e.html].
 
DONATE OCHOA, Fernando. "Cuba: Pobres 'recolhidos' durante a visita do Papa voltam às ruas". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/cuba-pobres-recolhidos-durante-visita.html].

Saturday, October 10, 2015

A "Pátria Educadora" comuno-petista: abortismo, pedofilia e gayzismo.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.
 
 
I.
 
A "Pátria Educadora" comuno-petista: pedofilia e gayzismo ameaçam crianças brasileiras.
 
 
Guilherme Schelb. Procurador da República.
Fonte do vídeo. Puggina.ORG
 
II.
 
A "Oficina de Siririca" da UFMG.
 
No início do ano: "Boca de fumo". Era a denúncia contra a Faculdade de Filosofia da UFMG [1]. Depois, local de comercialização de abortivos, ou seja, espaço para "negociar" o assassinato de crianças inocentes [2]. Agora, a Universidade Federal de Minas Gerais abriga a "Oficina de Siririca" (Cf. vídeo abaixo - que tem um título que não condiz com as imagens) [3].
 
 
É um escândalo que a UFMG aplique o dinheiro do contribuinte em eventos grotescos como esse. Mas, a questão não envolve apenas verba pública. "Oficinas de Siririca" servem para "gestar", com a ressalva de que as frequentadoras são abortistas, instruções e práticas que serão inseridas nas escolas, sob o pretexto de promover a "educação sexual". Serão fatores de influência na "formação" de professores - com uma ideologia inoculada em cursos de "atualização" e "capacitação" -, tornando-os agentes de disseminação do gayzismo, para transformarem e perverterem valores, determinarem o comportamento de crianças e jovens dentro da sala de aula.
 
Eis a "Pátria Educadora" comuno-petista.
 
III.
 
UFMG. Militantes de grupo LGBT ficam pelados e com os os punhos erguidos para reivindicar a "revolução" comuno-gayzista: exigem a legalização do ABORTO, querem o "direito" de ASSASSINAR CRIANÇAS INOCENTES.
 
 
. Assista ao vídeo escabroso: [https://www.youtube.com/watch?v=yWe1Y4RjO7E].
 
A "manifestação" grotesca aconteceu na frente da Reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais. Era parte das atividades da Primeira Semana Acadêmica LGBT - "Bota a cara no sol: (in)visibilidade da diversidade sexual e de gêneros" -, realizada entre os dias 30 de Setembro e 02 de Outubro na Fafich, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG.
 
. Assista à matéria feita pela TV Alterosa: [https://www.youtube.com/watch?v=_TnsliRXrvo]. O grupo LGBT não só utiliza o espaço mantido com dinheiro público para promover um "protesto" bizarro - e pregar o genocídio - como impede a equipe de reportagem de fazer a cobertura do evento gayzista.
 
 
REFERÊNCIAS.
 
[1]. Cf. "Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG vira boca de fumo", Estado de Minas, 27 de Março de 2015 [http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/03/27/interna_gerais,631781/trafico-ocupa-ufmg.shtml].
 
 
[3]. Vídeo extraído da reportagem: "Médico que tentou filmar 'oficina de siririca' alega ter sido agredido", jornal O Tempo, 02 de Outubro de 2015 [http://www.otempo.com.br/cidades/m%C3%A9dico-que-tentou-filmar-oficina-de-siririca-alega-ter-sido-agredido-1.1128764].
 
 

Friday, October 09, 2015

Cuba: Pobres "recolhidos" durante a visita do Papa voltam às ruas.

"Estas pessoas haviam desaparecido".
 


 
Holguín, Cuba - Dentro dos preparativos para a visita do Papa Francisco a Holguín, foram realizadas obras de restauração em estradas e em fachadas de casas.
 
Essa melhoria na imagem da cidade também incluiu o recolhimento de pessoas que vagueiam pedindo esmola ou que ficam deitadas em papelões em qualquer lugar no centro da cidade.
 
"Ficamos surpresos, de um dia para o outro esses pobres desapareceram como que por magia", disse Enrique Dominguez, um atendente da popular cafeteria "La Cubita".
 
Tania Cantillo, que trabalha por conta própria, interpretou o recolhimento dos desabrigados para a visita papal como "um ato lamentável de limpeza social para dar ao Papa Francisco, e ao mundo, a falsa imagem de uma Holguín próspera e sem pobres".
 
O engenheiro Camilo Consuegra notou que, no dia seguinte ao da partida do Papa, tudo voltou à normalidade, e "os desabrigados invadiram as ruas de Holguín".
 
De acordo com Omar Quiroga, vizinho da rua Aguilera, esquina Maceo, nota-se que a cada dia aumenta a quantidade de desabrigados em Holguín.
 
"É vergonhoso para nós que moramos nesta cidade ver tantos pobres que te importunam pedindo dinheiro".
 
Um trabalhador do Departamento Provincial de Saúde, que preferiu o anonimato, confirmou que os desabrigados foram recolhidos dias antes à visita papal e "foram levados a uma instalação conhecida popularmente como ITH, onde permaneceram, contra a sua vontade, até que o Papa Francisco deixou Cuba".
 
"O aumento do número de indigentes em Holguín, homens, mulheres e jovens, é resultado da crise econômica do país e da incapacidade governamental de dar uma solução a este problema", disse.
 
Fernando Donate Ochoa.
Cubanet, 28 de Setembro de 2015.
Tradução. Bruno Braga.
 
LEITURA RECOMENDADA.
 
BRAGA, Bruno. "Francisco: Fidel e a Religião" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/francisco-fidel-e-religiao.html].
______. "Raúl Castro dá ao Papa uma "calurosa bienvenida" comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html].
______. "Betto, o 'Senhor Ministro', o 'papa' Boff e os comunistas cubanos no Céu" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/betto-o-senhor-ministro-o-papa-boff-e.html].

Sunday, October 04, 2015

Betto, o "Senhor Ministro", o "papa" Boff e os comunistas cubanos no Céu.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

Betto: os comunistas cubanos vão para o Céu.


Betto acompanhou a recente visita de Francisco a Cuba. Uma espécie de "coroinha" dos irmãos Castro, ele foi prestigiado por Fidel, que ofereceu ao Papa um exemplar do livro "Fidel y La Religión: conversaciones con Frei Betto" [1].

Em Havana, Betto concedeu uma entrevista à TeleSUR - emissora de TV venezuelana criada nas instâncias do Foro de São Paulo, organização fundada por Lula e por Fidel Castro, e que o próprio "frei" de araque ajudou a erguer para transformar a América Latina na imensa "Patria Grande" comunista [2].

Diante das câmeras, Betto se apresenta como um autêntico "apóstolo" da Teologia da Libertação: falsifica a fé católica para utilizá-la como instrumento de promoção do comunismo. Para ele, não há "incompatibilidade" nenhuma entre marxismo e cristianismo. Betto despreza a sentença de Pio IX - "O comunismo é intrinsecamente mau" ("Divini Redemptoris") - e pisa a lição de Pio XI: [...] "[o socialismo] é incompatível com os dogmas da Igreja Católica, pois concebe a própria sociedade como alheia à verdade cristã" [...] "Católico e socialista são termos antitéticos" [...] "Socialismo religioso, socialismo cristão, são termos contraditórios. Ninguém pode ser, ao mesmo tempo, bom católico e verdadeiro socialista" ("Quadragesimo Anno"). Por sua vida de compromisso e dedicação à militância comuno-petista, Betto não está nem ai para a sua excomunhão automática [3].

Mas, ele é ainda mais audacioso. Em um surto de auto-divinização, Betto arranca a Justiça das mãos de Deus e antecipa a "salvação" dos dirigentes comunistas cubanos. Reserva para eles um lugar no Céu (Cf. vídeo abaixo). Para os que integram um regime totalitário, responsável pelo fuzilamento de católicos no paredão e que, no exato instante em que o próprio Betto falava para a emissora do Foro de São Paulo, impedia tantos outros de participarem das celebrações do Papa Francisco em Cuba [4].

II.

Betto, o "Senhor Ministro", e o "papa" Boff.


Em agosto de 2014, o programa "Sempre um Papo" reuniu Genézio Boff e Betto. Eles estiveram em Belo Horizonte para promoverem, juntos, os livros que haviam acabado de publicar - Genézio, um sobre o Papa: "Francisco de Assis e Francisco de Roma": uma nova primavera na Igreja (Mar de Ideias, 2014) (Cf. [https://youtu.be/iDtkZ1wmBK0]).


No meio do evento, uma breve, mas significativa, troca de gentilezas. Genézio sugere Betto para "Ministro das Relações Exteriores", pois, segundo ele, não conhece ninguém melhor para "transar" o "discurso da política", que saiba fazer a "síntese", "dialogar", "russos, comunistas, ateus".

Parêntese. Betto realmente tem "experiência" no campo das "relações exteriores". Ele trabalhou diretamente na criação do Foro de São Paulo, organização fundada por Lula e por Fidel Castro, e que hoje domina a América Latina com o projeto totalitário da "Patria Grande" comunista. Ademais, se não foi de fato um "Ministro", Betto foi assessor especial do ex-Presidente Luiz Inácio. Fecha parêntese.

Por sua vez, Betto declara: "depois do primeiro concílio de Havana, eu quero o Leonardo como papa" - e o apresentador lambe-botas completa com um disparate: "se o voto fosse direto, já estava eleito".

É curioso notar as referências: "Ministro"; "relações exteriores"; "discurso da política"; "russos, comunistas, ateus"; "concílio de Havana". Há muita gente que ainda toma estes dois como "freis". Não. Genézio e Betto são militantes comuno-petistas, "apóstolos" da Teologia da Libertação - do engodo forjado para falsificar a fé e, por meio do truque, do ardil, instrumentalizar a Igreja Católica para favorecer o projeto de poder comunista.


REFERÊNCIAS.




[4]. Cf. "Raúl Castro dá ao Papa uma 'calurosa bienvenida' comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html].


ARTIGOS RECOMENDADOS.

BRAGA, Bruno. "Para além das aparências" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/03/para-alem-das-aparencias.html].
______. "Genézio 'arrebanha' militância comuno-petista em Minas" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/genezio-arrebanha-militancia-comuno.html].
______. "GENÉZIO Boff sobe ao palanque mais uma vez pela sua verdadeira 'profissão de fé': promover o projeto de poder PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/genezio-boff-sobe-ao-palanque-mais-uma.html].
______. "A barbárie SOCIALISTA-COMUNISTA-BOLIVARIANA e a contribuição do 'apostolado da revolução'" (Cf. especialmente o item II, Leonardo Boff faz campanha para Dilma Rousseff, então candidata à Presidência da República [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/02/a-barbarie-socialista-comunista.html]).