Sunday, September 28, 2014

Albânia comunista: Francisco, Bento, São João Paulo e a estrela vermelha do PT.

Bruno Braga.
Notas.

 
I.

Papa Francisco recorda viagem à Albânia e cita expressamente o "REGIME ATEU", a "DITADURA COMUNISTA", a "IDEOLOGIA MARXISTA" - responsáveis por impor uma opressão sangrenta ao país.
 

Audiência Geral, 24 de Setembro de 2014.

"Esta visita nasceu do desejo de ir a um país que, depois de ter sido oprimido por longo tempo por um REGIME ATEU e DESUMANO, está vivendo uma experiência de pacífica convivência entre as suas diversas componentes religiosas".
 
[...]
 
"Percorrendo a avenida principal de Tirana, que do aeroporto leva à grande praça central, pude ver os retratos dos quarenta sacerdotes assassinados durante a DITADURA COMUNISTA e para os quais foi iniciada a causa de beatificação. Estes se somam às centenas de religiosos cristãos e muçulmanos assassinados, torturados, presos e deportados só porque acreditavam em Deus.
 
Foram anos sombrios, durante os quais foi pisoteada a liberdade religiosa e era proibido acreditar em Deus, milhares de igrejas e mesquitas foram destruídas, transformadas em lojas e cinemas que propagavam a IDEOLOGIA MARXISTA, os livros religiosos foram queimados e os pais eram proibidos de colocarem nos filhos nomes religiosos dos antepassados. A recordação destes acontecimentos dramáticos é essencial para o futuro de um povo".
 
[...]

NOTAS.
 

II. A imagem apresentada é da audiência de 24 de Setembro, realizada diante de mais de 40.000 pessoas (CTV).

Nota publicada no Facebook em 24 de Setembro de 2014.

II.

O Papa Francisco e a Albânia socialista-comunista.
 

Neste domingo, 21 de Setembro, Bujar Nishani - Presidente da Albânia - recepcionou o Papa Francisco, e diante do Sumo Pontífice recordou o terror comunista em seus país:
 
[...] "Como o senhor sabe, Santidade, nós experimentamos por quase cinquenta anos uma feroz ditadura durante o Comunismo. O Comunismo tentou mudar o nosso povo. Criar um novo povo sem Deus, sem liberdade, sem culto, proclamando-se como o único país no mundo ateu. Nós e os meus co-nacionais pensamos que a Igreja Católica, como também outras comunidades religiosas, resistiram de modo heróico à ditadura Comunista, dando à nação, à Igreja, ao mundo civil, os mártires dignos para uma vida eterna nesse estado. As últimas palavras de muitos sacerdotes diante da espada ou dos fuzis: "Viva a Albânia! Viva o Papa!". Em nome do binômio pátria e fé dezenas de sacerdotes deram a sua vida. Essa experiência contra a natureza humana não existe outra. Graças a Deus. Graças à resistência dos albaneses, aquele regime faliu". [...]
 
Cf. [http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2014/september/documents/papa-francesco_20140921_albania-autorita.html] - Link para o vídeo. Para o trecho do discurso presidencial citado: tempo 44:15 (transcrição da tradução fornecida pela locução da Rádio Vaticana).


Nota publicada no Facebook em 21 de Setembro de 2014.

III.


São João Paulo II e a Albânia comunista.
Bruno Braga.
 



Na audiência geral do dia 24 de Setembro - realizada na Praça São Pedro, no Vaticano -, o Papa Francisco recordou a viagem que fez à Albânia. Diante de um público de mais de quarenta mil pessoas, o Sumo Pontífice responsabilizou expressamente o "regime ateu", a "ditadura comunista", a "ideologia marxista", pelas atrocidades cometidas contra os albaneses (Cf. [http://w2.vatican.va/content/francesco/it/audiences/2014/documents/papa-francesco_20140924_udienza-generale.html]).

Em 1993, João Paulo II também visitou a Albânia. E ainda no solo do país, o Papa - esse Santo da Igreja Católica - condenou diretamente a "opressão", o "programa social e político" imposto pela "ideologia comunista" aos albaneses:
 
[...]
 
"Queridos albaneses, irmãos e irmãs! Quantas vezes no passado vocês tiveram que defender vigorosamente a sua identidade! [...] Vocês sofreram pelo seu país. Portanto, vocês têm razões para amá-lo com paixão. O vosso povo que viveu uma tragédia verdadeiramente perturbadora sob os rigores da OPRESSÃO COMUNISTA".
 
[...]
 
"Tratou-se de uma dura luta contra a religião, de acordo com um dogma intocável do PROGRAMA SOCIAL E POLÍTICO defendido pela IDEOLOGIA COMUNISTA".
 
NOTAS.
 
I. O discurso completo está publicado - em Italiano - no site oficial do Vaticano (Cf. [http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/speeches/1993/april/documents/hf_jp-ii_spe_19930425_nazione-albanese_it.html]).
 
II. Vídeo - imagens da visita de São João Paulo II à Albânia, 1993 (Cf. [https://www.youtube.com/watch?v=11BfOyncINg]).
 
 
Nota publicada no Facebook em 25 de Setembro de 2014.

IV.

Bento XVI e a Albânia comunista.
Bruno Braga.
 

Durante o seu pontificado, o Papa Bento XVI não visitou a Albânia. No entanto, assim como João Paulo II - São João Paulo II - em 1993 e, recentemente, Francisco, ele condenou nominalmente a "ditadura comunista" que havia arrasado aquele país.

I.
 
"Senhor Embaixador, ao dar-lhe as boas-vindas no início da sua missão, agradeço-lhe as gentis expressões que me dirigiu e os sentimentos de estima profunda que me quis manifestar em relação à Santa Sé. Peço-lhe que comunique ao Senhor Presidente da República que retribuo cordialmente as suas saudações, fazendo o meu pensamento extensivo a todo o Povo albanês, cuja aspiração pela verdade e liberdade, como Vossa Excelência observou oportunamente, não foi cancelada nem sequer pela longa e pesada DITADURA COMUNISTA, da qual saiu há poucos anos" [...] (Cf. Discurso do Papa Bento XVI ao Senhor RRok Logu, novo embaixador da Albânia junto da Santa Sé por ocasião da apresentação das cartas credenciais, 29 de Setembro de 2006 [http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2006/september/documents/hf_ben-xvi_spe_20060929_ambassador-albania_po.html]).

II.
 
"Todos conhecem a triste herança deixada na Albânia por um passado regime ditatorial, que tinha proclamado o ateísmo como ideologia de Estado. É evidente que um semelhante delineamento antidemocrático dos relacionamentos entre os cidadãos vos deixou uma tarefa não fácil, já no plano humano: a missão de redescobrir uma gramática conjunta, que possa novamente sustentar o edifício social. Mas vós, sucessores dos Apóstolos, sois chamados sobretudo a tornar-vos testemunhas de uma outra herança, particularmente benéfica e construtiva, a herança da mensagem de salvação que Cristo trouxe ao mundo. Neste sentido, depois da noite obscura da DITADURA COMUNISTA, incapaz de compreender o povo albanês nas suas tradições atávicas, providencialmente a Igreja conseguiu renascer, graças também ao vigor apostólico do meu venerado Predecessor, o Servo de Deus João Paulo II, que vos visitou em 1993, reconstituindo de modo estável a Hierarquia católica, para o bem dos fiéis e em vantagem do povo albanês" [...] (Cf. Discurso do Papa Bento XVI aos membros da Conferência Episcopal da Albânia por ocasião da visita "ad limina apostolorum", 23 de Maio de 2008 [http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2008/may/documents/hf_ben-xvi_spe_20080523_bishops-albania_po.html]).

 
Nota publicada no Facebook em 26 de Setembro de 2014.

 
V.

PT - a estrela vermelha e a Albânia socialista-comunista.
 

Eis a origem do símbolo oficial do PT, a estrela vermelha de cinco pontas:
 
"Júlio de Grammont (Secretário-geral do PT à época) conta, em artigo publicado no boletim Linha Direta nº 258 (março de 1996), que a estrela nasceu numa mesa de bar, em São Bernardo do Campo. O motivo da reunião era criar uma bandeira para o Partido que seria utilizada na caminhada contra a LSN (Lei de Segurança Nacional), na Vila Euclides. Estavam reunidos ele, Mário Serapicos e Augusto Portugal que discutiam a idéia sobre uma bandeira vermelha, branca e preta em homenagem ao time do São Paulo: 'dos três, eu e Augusto éramos torcedores do São Paulo. Mário perdeu, mas em compensação QUERIA QUE AO CENTRO DA BANDEIRA APARECESSEM A FOICE E O MARTELO'. Júlio de Grammont propôs então uma estrela branca, no centro da bandeira. 'Coisa de veado, alguém disse. Quando expliquei que tinha lido num daqueles livros sebosos que circulavam no presídio Tiradentes, em 1971, que A ESTRELA ERA O SÍMBOLO DA JUVENTUDE COMUNISTA DA ALBÂNIA (vejam só!) todos toparam', recorda" (Cf. Tânia Almeida, "Veja e a estrela petista: apropriações e sentidos. III Compolítica - PUC-SP - GT Marketin, imagem pública política).

(*) Imagem. Bandeira da República Popular Socialista da Albânia (1946-1992) e a estrela petista.

 
Nota publicada no Facebook em 21 de Setembro de 2014.

 
ARTIGOS RECOMENDADOS.

ACIDigital, 21 de Setembro de 2014. "Testemunho de um sacerdote condenado à morte pelo regime comunista fez o Papa chorar" [http://www.acidigital.com/noticias/testemunho-de-um-sacerdote-condenado-a-morte-pelo-regime-comunista-fez-o-papa-chorar-87440/].

ACIDigital, 22 de Setembro de 2014. "Religiosa conta ao Papa como batizou a filha de um comunista retirando água de um canal com o seu sapato" [
http://www.acidigital.com/noticias/religiosa-conta-ao-papa-como-batizou-a-filha-de-um-comunista-retirando-agua-de-um-canal-com-o-seu-sapato-19398/].
 
BRAGA, Bruno. "O Papa, a Albânia socialista-comunista e a revolução no Brasil" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/09/o-papa-albania-socialista-comunista-e.html].

Saturday, September 20, 2014

O Papa, a Albânia socialista-comunista e a revolução no Brasil.

Bruno Braga.
Notas.

 
 
 
Neste domingo, 21 de Setembro, o Papa Francisco visita Tirana, capital da Albânia. É uma oportunidade para recordar e refletir sobre os horrores impostos pelo regime SOCIALISTA-COMUNISTA à população do país. Perseguição e encarceramento de cristãos. Execuções. Demolição de igrejas e o ateísmo gravado na Constituição.
 
Mas a visita do Sumo Pontífice é oportuna também para os brasileiros. Para que refaçam a memória dos vínculos do regime opressor e sanguinário da Albânia com o Brasil. Recordação imprescindível, sobretudo neste período eleitoral, em que agentes e partidos historicamente ligados ao comunismo albanês - e comprometidos com a revolução SOCIALISTA-COMUNISTA - são protagonistas do cenário político e atuam com a mesma ambição totalitária de poder. Abaixo, algumas notas para contribuir com essa funesta recordação.
 
 
I.
 

Este vídeo registra a VII Conferência do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), que foi realizada na Albânia entre os anos de 1978 e 1979 - 1979 inclusive foi declarado "O Ano Stálin", uma homenagem ao ditador genocida soviético.
 
A Albânia fora então considerada pelos dirigentes do PCdoB como "o farol da humanidade". Desde a capital albanesa - onde muitos moraram - eles diariamente passavam informações e orientações para o Brasil através da rádio Tirana. A Albânia também abrigou e treinou guerrilheiros brasileiros.
 
 
II.
 
[...]
 
"Durante a guerrilha [Guerrilha do Araguaia], o convento dos padres de Conceição do Araguaia era utilizado como base para transmissões clandestinas de rádio, que deveriam alcançar a Albânia. Porém, os militares localizaram este núcleo operacional e, com o desmonte do equipamento, inviabilizaram a comunicação. Um dos religiosos que estava no convento protestou veementemente contra a intervenção: era Claudio Fonteles" [...] (trecho extraído do artigo "A História nas mãos de um sacerdote da revolução" [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/11/a-historia-nas-maos-de-um-sacerdote-da.html]).


Claudio Fonteles foi membro da AP (Ação Popular), organização terrorista que surgiu com o propósito de instrumentalizar a Igreja Católica para promover a revolução SOCIALISTA-COMUNISTA no Brasil. Fonteles foi - até 2013 - membro da Comissão da Verdade. Quer dizer, Comissão da MENTIRA, porque o grupo, sob o pretexto de investigar as "violações dos direitos humanos" durante o Regime Militar, tem um só objetivo: reescrever e falsificar a História, consagrando a versão revolucionária dos fatos como a História oficial do país.

 
III.

 

 
No início dos anos 80, Lula de braços erguidos com João Amazonas (à esquerda)- o alto dirigente do PCdoB acolhido na Albânia SOCIALISTA-COMUNISTA (Cf. Nota I).
 
 

Na Convenção Nacional do PCdoB - realizada em Junho de 2014 - o partido comunista confirmou apoio à reeleição da Presidente Dilma Rousseff. (Cf. também "Prisão dos mensaleiros - Dilma Rousseff comparece a celebração COMUNISTA" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/11/prisao-dos-mensaleiros-dilma-rousseff.html]).


Thursday, September 18, 2014

Pimentel - CODINOME: "Jorge".

Bruno Braga.

 

 
Em 1970, Fernando Damatta Pimentel - hoje candidato petista ao governo do estado de Minas Gerais - participou da fracassada ação terrorista orquestrada pela Vanguarda Popular Revolucionária (VPR): sequestrar Curtis Carly Cutter, cônsul dos Estados Unidos em Porto Alegre. O objetivo era realizar uma ação de impacto para consagrar a unidade de combate junto ao Comando Nacional, libertando - em troca da autoridade sequestrada - cinquenta "companheiros" presos.
"O sequestro foi marcado para o dia 21 de março, um sábado. Na tarde desse dia, estando tudo pronto, já com o carro para a ação roubado, o sequestro fracassou pela primeira vez, em virtude de erro no planejamento. Nova tentativa foi marcada para semanas depois.
 
No dia 4 de abril (também um sábado), o 'Comando Carlos Marighella' foi assim constituído: no carro da ação, um Volks azul, estava o comandante da operação, Félix Silveira Rosa Neto, com pistola calibre 45, o motorista Irgeu João Monegon, com revólver.38, FERNANDO DAMATTA PIMENTEL, com revólver .38, e Gregório Mendonça, do MR-26, com metralhadora INA .45; no carro da cobertura, ia o motorista, Reinhold Amadeo Klement, com revólver .38, e Luiz Carlos Damatta, com metralhadora INA .45. Além das armas, algumas granadas completavam o arsenal formado para o sequestro.
 
Na manhã desse dia, o cônsul saiu sozinho de sua residência, com sua caminhonete Plymouth azul-marinho. Pelo excesso de tráfego nos caminhos percorridos, nada foi tentado. À tarde, novamente, o cônsul saiu em direção à Vila Hípica. Em Vila Assunção, tentaram encostar-se ao seu carro, mas, por mais uma vez, o tráfego impediu a ação. Às 16 horas, o americano encontrava-se numa rua sem saída, no bairro Tristeza. Montaram o esquema de bloqueio da rua, que fracassou por imperícia de Irgeu: em vez de fechar, seu carro emparelhou com o do cônsul. Este, pensando que os rapazes queriam fazer um 'pega', arrancou a sua potente Plymouth, deixando para trás os surpresos terroristas.
 
Combinaram, então, nova tentativa para essa mesma noite, marcando um ponto de encontro, ao qual Luiz Carlos Dametta não compareceu. Apesar do desfalque, resolveram agir assim mesmo. Os frequentes fracassos irritavam e açodavam os militantes do 'Comando Carlos Marighella".
 
Às 20 horas, o cônsul, acompanhado de sua esposa, saiu para visitar uns amigos, estacionando na Avenida Independência nas proximidades do Teatro Leopoldina. Às 22h30min, saiu o casal acompanhado de um amigo. Tomando o carro, foram seguidos até a Rua Vasco da Gama, quando, logo após a Rua Ramiro Barcellos, foram ultrapassados e fechados pelo Volks dirigido por Irgeu, ocorrendo uma batida. Os três militantes desse carro, Félix, FERNANDO e Gregório desceram, cercando a caminhonete do cônsul. Este não titubeou, ao ver as armas, arrancou violentamente e atropelou FERNANDO, abalroando o Volks. Félix atirou com sua pistola .45, acertando o omoplata da vítima, que, mesmo ferida, conseguiu escapar.
 
O Volks, batido, foi abandonado na Rua Dona Laura. O outro carro foi guardado para futuras ações. De madrugada, reunidos no 'aparelho' em que o cônsul deveria ser guardado, analisaram as causas do fracasso. Até hoje, não se sabe o que fezeram naquele momento, com o "Comunicado Número Um" (trecho extraído do livro "ORVIL: tentativas de tomada do poder", Schoba, 2012, pp. 539-40 - os destaques no texto para Fernando Pimentel são meus).
O "Comunicado Número Um" - citado acima - era um aviso que deveria ser entregue às autoridades com a consumação do sequestro. Porém, ele não propunha somente a troca do cônsul pelos cinquenta "companheiros" presos. O comunicado, previamente redigido, já trazia a "confissão" do prisioneiro, que assumia "ligações com a CIA", e a condenação dele à morte, julgado sumariamente pelo "tribunal de justiça revolucionária" - execução que seria evitada apenas se as autoridades aceitassem as condições do resgate (Idem, p. 538).
 
Em 2011, João Carlos Bona Garcia - juiz militar aposentado, e ex-integrante da VPR - contou como ele e Pimentel roubaram Cr$ 89.500,00 (R$ 415 mil reais em 2011) do Banco Brasul, de São Paulo - dinheiro que pertencia ao grupo Ultragás. Com um Gordini, os terroristas fecharam o fusca que estava a serviço do banco em Porto Alegre, rendendo o motorista e seu acompanhante:
"Eu estava com uma 45 e o FERNANDO com um 38", contou Bona Garcia. Cabia-lhe render o motorista, mas este inicialmente resistiu, com um atrevido "não saio!". O guerrilheiro disse: "Sai, se não vou ter de te matar". Ele saiu. "O FERNANDO teve mais sorte, porque o dele saiu logo. Mas a ação foi um sucesso". Sanches, subgerente do Brasul em Porto Alegre, disse à polícia que os dois assantantes usavam um emplastro na altura do nariz e da boca (Revista Época, 18 de Março de 2011 - os destaques no texto para Fernando Pimentel são meus).
Mas não foi só com a VPR que Pimentel - empunhando armas e promovendo atividades criminosas - tentou fazer do Brasil um país SOCIALISTA-COMUNISTA. Em Belo Horizonte - antes de integrar a VPR -, Pimentel fez parte do COLINA (Comando de Libertação Nacional), organização terrorista que tinha Dilma Rousseff em seus quadros - a candidata petista que nas eleições deste ano pretende reeleger-se Presidente da República.


ANEXO.

Fernando Pimentel - PETISTA que concorre ao governo do Estado de Minas Gerais - tem o DEVER de esclarecer os termos dos contratos SECRETOS multimilionários firmados com as ditaduras SOCIALISTAS-COMUNISTAS de Cuba e Angola. Pimentel, enquanto Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio da Presidente Dilma Rousseff, foi o responsável por assiná-los (Cf. vídeo). Dilma e Pimentel que, durante o Regime Militar, pretendiam - empunhando armas e promovendo atentados terroristas - transformar o Brasil em um país SOCIALISTA-COMUNISTA.


Nota publicada no Facebook em 17 de Setembro de 2014.
 

Friday, September 12, 2014

"Ninja" petista: "Eu voto em Dilma".

Bruno Braga.




 
No dia 07 de Setembro, a Presidente Dilma - sob o pretexto de dialogar com os "movimentos da juventude" - recebeu Pablo Capilé.

Capilé está à frente do Fora do Eixo, grupo que é alvo de uma avalanche de denúncias. Farto recebimento de verbas públicas sem a devida prestação de contas e tráfico de influência em editais. Apropriação de obras, bens, dinheiro e cartões de crédito de seus integrantes. Aliciamento de jovens, estabelecimento de uma disciplina sectária, imposição de trabalho semelhante ao "escravo". Perseguição de desertores e até criação "experimental" de uma criança. Capilé lidera ainda o Mídia Ninja. Grupo que - vinculado ao Fora do Eixo - ficou conhecido por cobrir manifestações e protestos públicos desde o interior deles, sendo apresentado como "jornalismo independente", mesmo que a postura ideológica de seus integrantes e o direcionamento dos seus trabalhos, os privilégios concedidos pela organização dos protestos, os vínculos e relações com agentes, grupos e partidos políticos denunciem que de "independente" o Mídia Ninja não tem nada.

Na visita ao Palácio da Alvorada, Capilé gravou o seu apoio à reeleição da Presidente: "Eu voto em Dilma" (Cf. vídeo). Era apenas a confirmação do que já estava embutido no seu discurso e estava explícito nas suas atividades e nas dos grupos fundados e gerenciados por ele.

 


 

Estiveram com a Presidente Dilma - e na companhia de Pablo Capilé - representantes da UNE, do MST e de outros "movimentos". Inclusive do Levante Popular da Juventude, grupo organizador dos "escrachos". Os "escrachos" são cinicamente considerados atos de protesto; no entanto, são de fato atos criminosos, que consistem em ajuntar estudantes e universitários para desmoralizar, intimidar e coagir aqueles sentenciados sumariamente pelo grupo como "torturadores" e "agentes da repressão".

Enfim, a considerar os "movimentos de juventude" envolvidos, a natureza e os princípios deles, a Presidente mais que "dialogou". Ela reuniu aqueles que estão comprometidos com um projeto de poder, o projeto de poder PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA.

 

ARTIGOS RECOMENDADOS.

 
"Quem é Pablo Capilé" ("O Ninja do PT") [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/09/quem-e-pablo-capile-o-ninja-do-pt.html] (Revista Veja).

BRAGA, Bruno. "E as ligações do MÍDIA NINJA (Fora do Eixo) com os Black Blocs? Autoridades policiais, INTIMEM o CAETANO!" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/02/e-as-ligacoes-do-midia-ninja-fora-do.html].

______. "A exposição pública da Casa Fora do Eixo Minas (com atividades em Barbacena-MG)" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/08/a-exposicao-publica-da-casa-fora-do.html].


 

Nota publicada no Facebook em 10 de Setembro de 2014.

O Grito PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA.

Bruno Braga.
 
 
 
 
 
No dia 07 de Setembro - dia da Independência do Brasil - tradicionalmente se realiza o "Grito dos Excluídos". O evento - ligado à CNBB - é apresentado como uma "manifestação popular" destinada a expor as necessidades e carências daqueles considerados "excluídos" da sociedade. No entanto, o que se vê frequentemente não é uma manifestação dos princípios e valores cristãos. O "Grito dos Excluídos" - inclusive pelos temas propostos - tornou-se uma oportunidade para a promoção das "causas" e bandeiras levantadas por agentes, grupos e partidos políticos, e que afrontam integralmente os preceitos e orientações da Igreja Católica. O "Grito dos Excluídos" tornou-se um "Grito PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA".
 
No ano passado, a edição do evento promovida pela Arquidiocese de Mariana em Congonhas-MG exemplificou muito bem isso [1]. Mas na deste ano - realizada em meio à disputa eleitoral - as coisas ficaram ainda mais explícitas. Leleco Pimentel "animou" e "organizou" o "Grito dos Excluídos" durante 20 anos. Ele estava inclusive entre os "agitadores" do ano passado. Leleco agora é candidato a Deputado Estadual pelo PT. Na foto abaixo, ele caminha com João - Deputado Federal que disputa a reeleição e promove sua carreira política como "padre", contrariando integralmente as determinações da Igreja Católica. João e Leleco expõem a sua verdadeira "profissão de fé" e realizam o "Grito PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA".
 
 

 
 
ARTIGOS RECOMENDADOS.
 
BRAGA, Bruno. "A invasão SOCIALISTA-COMUNISTA-PETISTA da Igreja Católica" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/09/a-invasao-socialista-comunista-petista.html]. Cf. Item IV, "Padre 'celebra' a revolução Socialista-Comunista em Congonhas-MG". Sobre o "Grito dos Excluídos" de 2013.

 
Nota publicada no Facebook em 10 de Setembro de 2014.


ANEXO.

"Frei" pede votos para "padre".
 
Gilvander e João. Um parasita a Igreja Católica disfarçado de "frei"; o outro, filiado ao PT, promove sua carreira política apresentando-se como "padre". Eles exercem o mesmo apostolado. Não o católico - que contrariam integralmente. Estão comprometidos com uma só "profissão de fé": a promoção do projeto de poder PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA.
 
No início do ano, Gilvander e João estiveram com o MST em Brasília, quando a guerrilha rural PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA - utilizando dinheiro público - tocou o terror pela capital federal. Ameaçou invadir o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional (Cf. Artigos recomendados).
 
Gilvander e João estão juntos novamente. O "frei" se tornou cabo eleitoral do "padre". Ele pede votos para que João se reeleja Deputado Federal. João, por sua vez, utiliza o apelo do "frei" em sua campanha (Cf. imagem). Gilvander e João contrariam novamente - sem o menor pudor - os princípios e orientações da Igreja Católica. Dão mais uma demonstração escandalosa da "fé" que move o seu "apostolado".
 

 
 ARTIGOS RECOMENDADOS.

BRAGA, Bruno. "O 'apostolado' do SOCIALISMO-COMUNISMO em Brasília" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/03/o-apostolado-do-socialismo-comunismo-em.html].
______. "MST e 'apóstolo da revolução' - JUNTOS - BARBARIZANDO em Brasília" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/03/mst-e-apostolo-da-revolucao-juntos.html].
 
 
Nota publicada no dia 09 de Setembro de 2014.



Tuesday, September 02, 2014

O "poder econômico" no projeto de reforma política da CNBB.

Bruno Braga.
 
 
 
 
 
Promotores, "apóstolos" e entusiastas do projeto de reforma política da CNBB frequentemente destacam - como sinal da inspiração divina dele - o ítem que propõe o "financiamento público" das campanhas eleitorais. Pregam que proibir doações de empresas privadas a partidos e candidatos - mantendo a permissão para doações de pessoas físicas - visa eliminar a influência do "poder econômico" nas questões políticas e evitar que os interesses do "capital" se sobreponham ao interesse público.
 
O componente ideológico do termo é escandaloso: demonização da iniciativa privada e divinização do Estado. É como se as empresas - representadas por seus proprietários - fossem excluídas da vida pública e ficassem impedidas de se posicionarem sobre o plano que determina o exercício de suas atividades.
 
Mas o ítem citado - o financiamento público das campanhas eleitorais - é ineficaz inclusive para os fins alegados. Primeiro. A proposta veta a doação de "empresa privada", mas não a do dono dela, a do "empresário" - pessoa física que pode figurar como doador. E mesmo que limite a contribuição individual ao valor de R$ 700, nada impede que "laranjas" sejam utilizados para burlar a limitação. E mais. Uma vez que as empresas privadas serão proibidas de fazer doações para candidatos e partidos, na contabilidade das campanhas não haverá mais nenhuma menção a elas - o que não coibe as doações ilegais, pelo contrário, poderá inclusive facilitá-las.
 
Outro ponto. Se um dos propósitos da reforma política é diminuir os custos das campanhas eleitorais, então soa disparatado exigir - fixando a escolha dos parlamentares em dois turnos - o financiamento público para boa parte das despezas dos candidatos e partidos. Exigir que o Estado, que o dinheiro público, do cidadão, banque as contas. Ademais, é necessário observar que "O Estado" não é uma entidade abstrata e supra-natural; ele é formado por pessoas de carne e osso que irão estabelecer - através do jogo político e do confronto de interesses - o valor das verbas e os "critérios" para a distribuição delas.
 
No entanto, há na proposta de reforma política da CNBB algo ainda mais grave. Se os seus "apóstolos" pretendem "exorcizar" o "poder econômico" da política, então, como explicar que as entidades e organizações que pretendem inserir na administração pública - sob o disfarce de "movimentos sociais" - sejam financiadas pelo "grande capital"? Estão aqui duas amostras relevantes: a ABONG - que congrega uma série de organizações não-governamentais; e a Cáritas - que é um organismo da CNBB (Cf. Cartilha Coalizão pela Reforma Política e Democrática, p. 43). Nas imagens abaixo os seus parceiros e apoiadores do "poder econômico" nominalmente mais evidentes aparecem destacados em vermelho.







É preciso notar que aqui há outro problema. Porque quando um candidato recebe doação de empresa privada, o eleitor tem a liberdade de votar nele ou não; mas os "movimentos sociais" - patrocinados por fundações multibilionárias - serão introduzidos pelo projeto de reforma política em instâncias decisórias do poder público sem a participação do cidadão brasileiro.
 
Nestes termos, a pregação sobre o "financiamento público" das campanhas eleitorais é uma fraude em todos os sentidos. A proposta de reforma política da CNBB maquia o estabelecimento de um consórcio para o exercício do poder político - consórcio que inclui agentes determinados do "poder econômico". Para a Conferência dos Bispos o comprometimento é um pecado imperdoável. Porque implica contrariar os princípios e orientações da Igreja Católica - que ela, a Conferência, não representa - fortalecendo um projeto de poder totalitário - o PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA - e a engenharia social e comportamental que o envolve, com o ABORTO, a IDEOLOGIA DE GÊNERO, a LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS, etc.


 
 
ARTIGOS RECOMENDADOS.

BRAGA, Bruno. "Padres pregam proposta de reforma política. Fiéis, não assinem!" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/07/padres-pregam-proposta-de-reforma.html].
______. "O porta-voz comunista da reforma política celebrada por padres" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/07/o-porta-voz-comunista-da-reforma.html].
______. "A reforma política da CNBB. Católicos, não assinem!" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/a-reforma-politica-da-cnbb-fieis.html].
______. "CNBB firma PACTO com Governo PETISTA: promover a reforma política SOCIALISTA-COMUNISTA" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/cnbb-firma-pacto-com-governo-petista.html].
______. "'O Chefe' convoca a militância para a reforma política da CNBB" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/o-chefe-convoca-militancia-para-reforma.html].
______. "Padre Rodrigo Maria. Eleições 2014 e a desastrosa proposta de reforma política que promove o projeto de poder PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/padre-rodrigo-maria-eleicoes-2014-e.html].