Sunday, May 20, 2018

O “pentecostes” comunista e a falsa “unidade dos cristãos”.


Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.

I.
A Liturgia da Palavra de hoje me faz pensar um pouco mais [1]. Ela me dá a oportunidade de retomar a tal “oração pela unidade cristã”, com a qual me deparei no Santuário da Piedade, em Barbacena (MG).
Leio o Evangelho, que nos apresenta a oração do próprio Cristo: “Pai Santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, PARA QUE ELES SEJAM UM ASSIM COMO NÓS SOMOS UM. Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura” [...] “Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno” [...] “CONSAGRA-OS NA VERDADE; a tua palavra é verdade. Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. EU ME CONSAGRO POR ELES, A FIM DE QUE ELES TAMBÉM SEJAM CONSAGRADOS NA VERDADE” (Jo. 17, 11b-19).
Jesus reza e pede ao Seu Pai por “eles” – pela Sua Igreja, a única e verdadeira Igreja: a Santa Igreja Católica, consagrada pela Verdade, pois foi Ele mesmo que A fundou (Mt. 16, 18); Ele, o Cristo, que é Deus, e que é não só o Caminho e a Vida, mas a própria Verdade (Jo. 14, 6). Jesus reza pela unidade desta Igreja, já que “extra Ecclesiam nulla sallus” – “fora da Igreja não há salvação”. E é por isso mesmo que a Santíssima Virgem Maria pediu em Fátima a “conversão dos pecadores”, incluindo os hereges e cismáticos, para que eles se salvem na Igreja Triunfante.
O Cristo pede ao Seu Pai: “que os guardes do Maligno”. Pede, porque é o diabo aquele que divide (“diabolos”, “diabulum”), aquele que seduz com o afastamento da única e verdadeira Igreja, que cria as suas próprias “igrejas” e, travestido muitas vezes de anjo de luz (2Cor. 11, 14), e na imitação da Igreja de Cristo, sugere que são todas elas legítimas e verdadeiras.
A oração de Cristo deixa à mostra a farsa da “oração pela unidade cristã”, pois só existe unidade na Verdade da única Igreja de Cristo, na Santa Igreja Católica. Como é possível rezar pela unidade com um conjunto de seitas que se contradizem e quando a própria oração é proposta por “conselhos” – o CONIC e o Conselho Mundial de igrejas – que estão comprometidos – não com a Verdade e nem com a salvação – mas com um esquema criminoso de poder comunista? Como é possível rezar por uma unidade na mentira?
Mentira que chega a constranger e contaminar pessoas honestas e de bom coração que, na defesa dessa “união”, acabam considerando – como eu mesmo ouvi - que ela é semelhante à harmonia entre a Santíssima Trindade. Ora, como se fosse possível o Pai, o Filho e o Espírito Santo pregarem coisas não só distintas, mas contrárias e contraditórias, chegando inclusive à rejeição e ao insulto contra a Santíssima Virgem Maria – e mesma assim permanecer uma tal “trindade” ainda em “harmonia”.
Pergunto novamente: como é possível rezar por uma unidade na mentira? Bom, todos sabem quem é o príncipe deste mundo: o pai da mentira. E é por isso que Jesus reza e pede ao Seu Pai Santo para que nos guarde – para que guarde a Sua Santa Igreja Católica do Maligno. Jesus, que não fez apenas uma oração, “Cristo amou a Igreja, e por ela se entregou a si mesmo, para a santificar” (Ef. 5, 21-33). Para santificá-La na Verdade, enquanto na paróquia – e em tantas outras igrejas - se pede uma oração para rebaixá-La na mentira.
II.
É preciso falar um pouco mais sobre a tal “oração pela unidade cristã”, sobre a iniciativa promovida pelas seitas reunidas no CONIC e no Conselho Mundial de igrejas, e com a qual continuo me deparando diariamente na Paróquia Santuário da Piedade, em Barbacena (MG).
Dê uma olhadinha nas imagens. Trata-se do livro da “Novena de Pentecostes pela unidade dos cristãos”, publicado pela Arquidiocese de Mariana. No site oficial da Arquidiocese, o responsável por comentar a proposta da publicação é ninguém mais ninguém menos que José Antônio Oliveira – o comunista “apóstolo” da Teologia da Libertação, famoso por ofender e insultar a Santíssima Virgem Maria [2].
Note o que é no mínimo “curioso”. Sim, é verdade, não tenho uma referência no material nem um documento assinado que comprove a autoria. Contudo, no “sexto dia” da novena pela suposta “unidade dos cristãos”, há uma denúncia caricaturizada e ofensiva contra os “escravos de Maria” (cf. imagem). Uma denúncia semelhante à que o próprio José Antônio recentemente fez, “compartilhando” um artigo nas redes sociais com o título “Catolicismo mofado” [3]. José Antônio, que fez parte da equipe de redação do texto da novena de 2017, que “comemorava” os 500 anos da reforma protestante – isto é, que celebrava a heresia e o cisma [4].
Mas, seja lá quem for o autor do trecho citado da novena deste ano de 2018, certo é que se trata de forma inegável de um insulto escabroso contra os que se consagram, que consagram toda a sua vida à Santíssima Virgem – chamados por São Luís Maria Grignion de Monfort exatamente de “escravos de Maria”. Por isso, é importante recordar a lição do próprio santo, uma lição que demonstra não só o caráter perverso da passagem citada da novena, mas que deixa à mostra a falsidade e a mentira dessa “oração pela unidade dos cristãos”, que ataca não só os seus “escravos”, mas a própria Mãe de Deus e Mãe da única e verdadeira Igreja de Cristo: a Santa Igreja Católica. Leia:
"Como na geração 'natural' e 'corporal' há um pai e uma mãe, assim também na geração SOBRENATURAL e ESPIRITUAL há um PAI, que é Deus, e uma MÃE, que é MARIA. Todos os verdadeiros filhos de Deus e predestinados têm a Deus por pai e a Maria por mãe; E QUEM A NÃO TEM POR MÃE, NÃO TEM DEUS POR PAI. Eis porque os RÉPROBOS, como os HERÉTICOS, os CISMÁTICOS etc., QUE ODEIAM OU OLHAM COM DESPREZO OU COM INDIFERENÇA A SANTÍSSIMA VIRGEM, NÃO TÊM DEUS POR PAI, ainda que disto se gloriem, PORQUE NÃO TÊM MARIA POR MÃE. Pois se a tivessem por mãe, honra-la-iam e ama-la-iam como um verdadeiro e bom filho ama e honra naturalmente sua mãe, QUE LHE DEU A VIDA.
"O SINAL MAIS INFALÍVEL e INDUBITÁVEL para distinguir um HERÉTICO, um HOMEM DE MÁ DOUTRINA, um RÉPROBO de um PREDESTINADO, é que O HERÉTICO E O RÉPROBO NÃO TÊM SENÃO DESPREZO OU INDIFERENÇA PELA SANTÍSSIMA VIRGEM. Com suas palavras e exemplos, ABERTAMENTE ou ÀS OCULTAS, ESFORÇAM-SE POR LHE DIMINUIR O CULTO E O AMOR, e isso por vezes SOB BELOS PRETEXTOS. Ah! Deus Pai não disse a Maria para habitar com eles, porque são Esaús". [...]
"DEVEMOS ser de JESUS CRISTO e servi-lo, não só como mercenários, mas como ESCRAVOS amorosos. Estes, por efeito de um grande amor, entregam-se e dão-se ao seu serviço, na qualidade de escravos, só pela HONRA de lhe pertencer. ANTES DO BATISMO ÉRAMOS ESCRAVOS DO DEMÔNIO. TORNOU-NOS O BATISMO ESCRAVOS DE JESUS CRISTO (Rm 6, 22). PORTANTO, OS CRISTÃOS TÊM DE SER ESCRAVOS OU DO DEMÔNIO OU DE JESUS CRISTO". [...] "O que digo de modo absoluto a respeito de Jesus Cristo, digo-o relativamente da SANTÍSSIMA VIRGEM. Jesus Cristo escolheu-a por companheira indissolúvel da sua vida, da sua morte, da sua glória e poder no Céu e na Terra" [...] "Deste modo, segundo este ensinamento, TÊM AMBOS OS MESMOS SÚDITOS, SERVOS E ESCRAVOS, VISTO QUE OS DOIS NÃO TÊM SENÃO UMA SÓ VONTADE E UM SÓ PODER". [...]
“Deus constituiu não somente uma inimizade, mas ‘INIMIZADES’, não apenas entre Maria e o demônio, mas também ENTRE A DESCENDÊNCIA DA VIRGEM SANTA E A DE SATANÁS. Isto quer dizer que DEUS ESTABELECEU INIMIZADES, ANTIPATIAS E ÓDIOS SECRETOS ENTRE OS VERDADEIROS FILHOS E SERVOS DA SANTÍSSIMA VIRGEM E OS FILHOS E ESCRAVOS DO DEMÔNIO: eles não se amam, nem têm qualquer correspondência interior uns com os outros. Os filhos de Belial (Dt. 13, 13), os escravos de Satanás, os amigos do mundo (não há diferença), até hoje perseguiram sempre, e perseguirão mais do que nunca, aqueles que pertencem à Santíssima Virgem, como outrora Caim perseguiu seu irmão Abel, e Esaú perseguiu Jacó, figuras dos réprobos e dos predestinados. MAS A HUMILDADE DE MARIA ALCANÇARÁ SEMPRE A VITÓRIA SOBRE ESTE ORGULHOSO, e essa vitória será tão grande que chegará a esborrachar-lhe a cabeça, onde reside o seu orgulho. Ela descobrirá sempre a sua malícia de serpente, e porá a descoberto as suas tramas infernais. Dissipará os seus conselhos e protegerá, até o fim dos tempos, os Seus servos fiéis contra aquelas garras cruéis”.
“Mas o poder de Maria sobre todos os demônios brilhará particularmente nos últimos tempos, em que Satanás armará ciladas contra o seu calcanhar, ou seja, CONTRA OS HUMILDES ESCRAVOS E POBRES FILHOS, QUE ELA SUSCITARÁ PARA LHE FAZER GUERRA. ELES SERÃO PEQUENOS E POBRES NA OPINIÃO DO MUNDO, HUMILHADOS PERANTE TODOS, CALCADOS E PERSEGUIDOS COMO O CALCANHAR O É EM RELAÇÃO AOS OUTROS MEMBROS DO CORPO. Mas, EM TROCA, SERÃO RICOS DA GRAÇA DE DEUS, QUE MARIA LHES DISTRIBUIRÁ ABUNDANTEMENTE. Serão grandes e de elevada santidade diante de Deus, e superiores a toda criatura pelo seu zelo ardente. Estarão tão fortemente apoiados no socorro divino que ESMAGARÃO, COM A HUMILDADE DE SEU CALCANHAR E EM UNIÃO COM MARIA, A CABEÇA DO DEMÔNIO, FAZENDO TRIUNFAR JESUS CRISTO” [5].
III.
Retomo aqui a tal “oração pela unidade cristã”, proposta pelas seitas reunidas no CONIC e no Conselho Mundial de igrejas. Enumero algumas breves considerações:
1.
Os entusiastas paroquianos estão invocando Pentecostes para legitimar a falsa “unidade dos cristãos”. Contudo, no Cenáculo – na unção do Espírito Santo – estavam presentes somente os apóstolos da única Igreja “apostólica”. Lucas atesta uma presença especial, que revela a farsa da “unidade” que hoje se prega: a presença de “Maria, mãe de Jesus” (At. 1, 14). A Santíssima Virgem Maria, Mãe de Jesus, de Deus, e Mãe da única e verdadeira Igreja fundada por Seu Filho e ungida pelo Espírito Santo: a Santa Igreja Católica. Nossa Senhora, desprezada – e muitas vezes com polidez e até com um aparente respeito – por todas as seitas “cristãs” com as quais se reivindica uma “unidade”.
2.
O recurso à oração sacerdotal de Jesus para legitimar a tal “unidade dos cristãos” é evidentemente descabido. Ora, quando Cristo a pronunciou não existiam as seitas chamadas “cristãs”, mas apenas a Sua Igreja, fundada sobre o primado de Pedro (Mt. 16, 18). Portanto, é óbvio que Jesus reza pela unidade da Sua Santa Igreja Católica. E reza também por aqueles que “vão acreditar em mim por meio da palavra deles” (Jo. 17, 20) – ou seja, por aqueles que serão convertidos. Pois só há unidade na Verdade, e não na mentira, na divergência e na contradição da multiplicidade de seitas, na encenação que conserva a heresia e o cisma, a fraude e até o desprezo para com a Santíssima Virgem Maria – tudo sob o véu da “tolerância” e do “respeito”.
3.
Os que não cedem à proposta escabrosa da “unidade dos cristãos” são acusados de promover a “divisão”. Sim, eu mesmo ouvi isso. Ora, tal discurso constrange os mais desavisados a cederem a uma fraude, e é capaz de inocular na consciência deles um peso devido à sua negativa. Por isso, talvez fosse justo e honesto que os entusiastas e pregadores da “unidade” colocassem para o discernimento dos católicos: [...] “quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus” / “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a DIVISÃO entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, E OS INIMIGOS DO HOMEM SERÃO AS PESSOAS DE SUA PRÓPRIA CASA” (Mt. 10, 32-36). Essa passagem me parece significativa para o católico que assiste dentro de sua própria Casa a pregação de uma falsa “unidade cristã” – para o católico que está disposto a dar o testemunho de que a sua é a única e verdadeira Igreja de Cristo.        
IV.
Uma liçãozinha de catecismo do Papa São Pio X para os que estão pregando entusiasmados nas paróquias a falsa “unidade dos cristãos” proposta pelo CONIC e pelo Conselho Mundial de igrejas [1].
. Como se pode distinguir A IGREJA DE JESUS CRISTO de tantas sociedades e SEITAS fundadas pelos homens e que se dizem cristãs?- Pode-se distinguir A VERDADEIRA IGREJA DE JESUS CRISTO de tantas sociedades ou SEITAS fundadas pelos homens e que se dizem cristãs por quatro notas características. ELA É UNA, SANTA, CATÓLICA e APOSTÓLICA.
. Não poderia haver mais de uma Igreja?
- NÃO PODE HAVER MAIS DE UMA IGREJA, porque, ASSIM COMO HÁ UM SÓ DEUS, UMA SÓ FÉ E UM SÓ BATISMO, assim também NÃO HÁ NEM PODE HAVER SENÃO UMA SÓ IGREJA VERDADEIRA.
. Pode alguém salvar-se fora da Igreja Católica, Apostólica, Romana?- NÃO. FORA DA IGREJA CATÓLICA, APOSTÓLICA, ROMANA NINGUÉM PODE SALVAR-SE, como ninguém pôde salvar-se do dilúvio fora da arca de Noé, que era figura desta Igreja.
. Somos obrigados a acreditar em todas as verdades que a Igreja ensina?- SIM, SOMOS OBRIGADO A ACREDITAR EM TODAS AS VERDADES QUE A IGREJA NOS ENSINA, e Jesus Cristo declarou que QUEM NÃO CRÊ JÁ ESTÁ CONDENADO.
. Somos também obrigados a fazer tudo o que a Igreja manda?- SIM, SOMOS OBRIGADOS A FAZER TUDO O QUE A IGREJA MANDA, porque Jesus Cristo disse aos Pastores da Igreja: “Quem vos ouve, a Mim me ouve, e quem vos despreza, a Mim me despreza”.
. A Igreja Católica é então infalível?
- SIM, a Igreja Católica é infalível. Por isso AQUELES QUE REJEITAM AS SUAS DEFINIÇÕES PERDEM A FÉ, E TORNAM-SE HEREGES.
. Há outros deveres dos católicos para com a Igreja?- TODO E QUALQUER CRISTÃO DEVE TER PARA COM A IGREJA UM AMOR ILIMITADO, considerar-se feliz e infinitamente honrado por pertencer a Ela e EMPENHAR-SE PELA GLÓRIA E AUMENTO D’ELA POR TODOS OS MEIOS AO SEU ALCANCE.
in Catecismo Maior de São Pio X, nn. 154; 156; 172; 173; 175; 178.
V.
Os pregadores paroquianos da falsa “unidade dos cristãos” proposta pelo CONIC e pelo Conselho Mundial de igrejas pretendem agora legitimá-la propagandeando uma “união” para realizar “obras”, obras de caridade. Uma justificativa fundada no mero ativismo é por si só grotesca, e ela pressupõe a omissão da verdade de que a Santa Igreja Católica é a única e verdadeira Igreja de Cristo [1]. Por isso, é importante recordar a lição do Papa Bento XVI:
[...] “Estou ciente dos desvios e esvaziamentos de sentido que a caridade não cessa de enfrentar com o risco, daí resultante, de ser mal-entendida” [...] “Daqui a necessidade de conjugar a caridade com a VERDADE, não só na direção assinalada por S. Paulo da ‘veritas in caritate’ (Ef. 4, 15), mas também na direção inversa e complementar da ‘caritas in veritate’” [...] “SÓ NA VERDADE É QUE A CARIDADE REFULGE E PODE SER AUTENTICAMENTE VIVIDA. A verdade é luz que dá sentido e valor à caridade. Esta luz é SIMULTANEAMENTE A LUZ DA RAZÃO E A DA FÉ” [...] SEM VERDADE, A CARIDADE CAI NO SENTIMENTALISMO. O amor torna-se um invólucro vazio, que se pode encher arbitrariamente. É o risco fatal do amor numa CULTURA SEM VERDADE; acaba prisioneiro das emoções e opiniões contingentes dos indivíduos, uma palavra abusada e adulterada chegando a significar o oposto do que é realmente. A VERDADE LIBERTA A CARIDADE DOS ESTRANGULAMENTOS DO EMOTIVISMO” [...] “No actual contexto social e cultural, em que aparece generalizada a TENDÊNCIA DE RELATIVIZAR A VERDADE, viver a caridade na verdade leva a compreender que a adesão aos valores do cristianismo é um elemento útil e mesmo indispensável para a construção duma boa sociedade e dum verdadeiro desenvolvimento humano integral. UM CRISTIANISMO DE CARIDADE SEM VERDADE PODE SER FACILMENTE CONFUNDIDO COM UMA RESERVA DE BONS SENTIMENTOS, ÚTEIS PARA A CONVIVÊNCIA SOCIAL, MAS MARGINAIS”. [...] “Sem verdade, cai-se numa visão empirista e céptica da vida, incapaz de se elevar acima da acção porque não está interessada em identificar os valores – às vezes nem sequer os significados – pelos quais julgá-la e orientá-la. A fidelidade ao homem exige A FIDELIDADE À VERDADE, a única que é garantia de liberdade (cf. Jo. 8, 32) e da possibilidade dum desenvolvimento humano integral. É por isso que a Igreja a procura, ANUNCIA INCANSAVELMENTE e reconhece em todo o lado onde a mesma se apresente. PARA A IGREJA, ESTA MISSÃO AO SERVIÇO DA VERDADE É IRRENUNCIÁVEL”.
BENTO XVI.
REFERÊNCIAS.

[5]. in "Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria", nn. 30; 73; 54.

Sunday, May 06, 2018

A Faculdade Católica de Fortaleza e o “apostolado” comunista.


Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.

I.
A Faculdade Católica de Fortaleza celebrou os cinco anos de pontificado do Papa Francisco com um autêntico ritual comunista. As imagens deixam à mostra o caráter da celebração macabra: aproveitar-se da imagem do Papa para legitimar as perversas distorções da Teologia da Libertação e preparar com a politização da fé a instauração de um “reino” na Terra. A instauração do Império do Crime Comunista, idealizado nos ninhos da teologia revolucionária – nas CEB’s – e sob as hostes das quadrilhas de sem-terra e sem-teto do Foro de São Paulo, invocadas não só nas bandeiras do MST e do MTST, mas com a presença dos próprios militantes no evento.  
Claro, no ritual não faltaram manifestações de idolatria ao bandido Lula.
Em uma instituição que se apresenta como “católica”, é a celebração pública e desavergonhada de mais uma traição contra a Santa Igreja.
II.
Este é Almir Magalhães [1]. Trata-se do Reitor da Faculdade Católica de Fortaleza. As imagens mostram bem por que a instituição que está sob a sua responsabilidade abrigou um ritual comunista realizado sob o pretexto de celebrar os cinco anos do pontificado do Papa Francisco [2]. Diante da denúncia, o Magnífico Reitor confessou que não determina nenhuma “censura ao que vai ser apresentado” nas dependências da faculdade [3]. Portanto, pode tudo, até mesmo contrariar os princípios e orientações da Santa Igreja Católica – como é o caso do próprio ritual comunista, que recebeu não só a permissão de Almir Magalhães, mas parece ter no Reitor que ostenta o anel de tucum um entusiasta e fomentador.
III.
Um pouco mais sobre a Faculdade Católica de Fortaleza. Na imagem, o Magnífico Reitor – o padre Almir Magalhães – celebra o cisma e a heresia: os 500 anos da chamada “Reforma” protestante de Lutero. E como convidada de honra e conferencista a faculdade acolheu a pastora luterana Romi Benke, que é integrante do CONIC – um conselho de seitas do qual a CNBB também faz parte, e que é não só “inspirado” pela nefasta Teologia da Libertação, mas também participa das tramas do criminoso esquema de poder comunista [4].
(*) As imagens são do evento realizado em maio de 2017.
IV.
Para efeito de registro. Almir Magalhães – o Magnífico Reitor da Faculdade Católica de Fortaleza – acolhe com o seu anel de tucum o Cardeal Claudio Hummes. O Bispo Emérito de São Paulo e amigo do Papa, que contou ao mundo como escolheu o nome “Francisco”: foi uma sugestão do Cardeal Hummes.
Claudio Hummes que também é amigo íntimo de Lula e um dos principais responsáveis pela ascensão política do bandido que hoje está preso, “batizando-o” com os disfarces e truques da nefasta Teologia da Libertação [5].
Almir Magalhães – o reitor que exige “Lula livre” – e que promoveu um escabroso ritual comunista para celebrar os cinco anos do pontificado do Papa Francisco [6].
PS. A imagem do Cardeal Hummes com Almir Magalhães é de 2017, e refere-se ao lançamento na Faculdade Católica de Fortaleza do livro “Grandes metas do Papa Francisco”, escrito pelo próprio Cardeal Hummes. Na imagem inferior, da esquerda para a direita: Frei Betto, Lula e Claudio Hummes.
V.
Não creio que seja mais necessário explicar quem é Frei Betto ou Marcelo Barros. Contudo, Almir Magalhães precisa explicar o que os “apóstolos” da Teologia da Libertação - comprometidos com o criminoso esquema de poder comunista – estavam fazendo na Faculdade Católica de Fortaleza, que em 2014 já estava sob a sua direção.
Na imagem, Marcelo Barros e Frei Betto, no I Encontro Nacional de Juventudes e Espiritualidade Libertadora – Leonardo Boff também teria participado do evento.
VI.


Almir Magalhães – Magnífico Reitor da Faculdade Católica de Fortaleza e... e... Cabo eleitoral de Dilma Rousseff: “13 razões” para reeleger a despachante do Foro de São Paulo dadas por Frei Betto, o “apóstolo” da Teologia da Libertação e do Império Comunista do Crime.  



REFERÊNCIAS.
[2]. Cf. nota I.
[4]. Cf. “Campanha da Fraternidade 2018: mais uma iniciativa de ‘inspiração’ comunista da CNBB”, nota VII [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/02/campanha-da-fraternidade-2018-mais-uma.html].
[5]. Cf. “CNBB: a 56ª Assembleia Geral e a Conferência dos Bispos no olho do furacão”, nota XII [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/04/cnbb-56-assembleia-geral-e-conferencia.html].
[6]. Cf. nota I.

Sunday, April 29, 2018

O novo Arcebispo de Mariana: postura, reações e o dever de enfrentar o “apostolado” comunista.


Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.

I.
Os mineiros ainda pouco sabem a respeito de Dom Airton José dos Santos. Porém, uma postura louvável – pelo menos uma – o novo Arcebispo da Arquidiocese de Mariana tem no seu currículo. Dom Airton assinou – então como Secretário Geral da Regional Sul 1 da CNBB – uma nota que acolhia e recomendava a ampla divulgação do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” (cf. imagens).
Para os que não se lembram, o “apelo” foi um informativo com o propósito de esclarecer os católicos sobre o compromisso do PT e da sua então candidata Dilma Rousseff com o ABORTO – com o assassinato de crianças inocentes. Ele sugeria, nas eleições de 2010, “o voto somente a candidatos ou candidatas e partidos políticos contrários à descriminalização do aborto”.
O informativo – perfeitamente legítimo - enfureceu o PT, que não só designou a sua militância para intimidar a gráfica responsável pela impressão, mas fez o Presidente da República – Lula, o bandido agora preso – a mobilizar inclusive a Polícia Federal. Enfureceu até a matriz da CNBB – Conferência dos Bispos.
Rezemos para que Dom Airton José dos Santos conserve a mesma postura na Arquidiocese de Mariana. Uma Arquidiocese infestada pelo “apostolado” da Teologia da Libertação e pela militância comuno-petista – sob a liderança principalmente do deputado federal padre João. Uma horda que tomou de assalto a Santa Igreja Católica para traí-La e promover o criminoso esquema de poder comunista, e que prega sem a menor vergonha o aborto [1].
II.
Na última nota, ressaltei a postura louvável de Dom Airton José dos Santos – o novo Arcebispo da Arquidiocese de Mariana –, que nas eleições de 2010 assinou com outros Bispos um informativo que alertava os católicos sobre o compromisso do PT e da sua então candidata - Dilma Rousseff - com o aborto – com o assassinato em massa de crianças inocentes. Os petistas, o na época Presidente Lula, a matriz da CNBB – que era presidida por Dom Geraldo Lyrio Rocha, que deixa agora Mariana para Dom Airton - todos ficaram furiosos com o zelo legítimo dos pastores para com o seu rebanho [2].
Mas veja quem mais se revoltou... Ora, ora... Dom Angélico Sândalo Bernardino! Ele denunciou o “uso eleitoreiro do aborto”! [3]. O mesmo Dom Agélico, o “apóstolo” da Teologia da Libertação que celebrou recentemente um ritual comunista de caráter satânico para idolatrar o bandido Lula [4].
Bom, a julgar pelos críticos, parece que dá para alimentar boas expectativas quanto a Dom Airton, o novo Arcebispo de Mariana.
III.
Tornou-se praticamente um método de prova: se um comunista reclama e denuncia, existe uma grande chance de tratar-se do contrário - pode ser sinal de que existe algo de bom ali. E é assim que a publicação do famoso “padre” Julio Lancellotti pode ser compreendida.
Diante da nomeação de Dom Airton José dos Santos como novo Arcebispo da Arquidiocese de Mariana, Lancellotti invocou a intercessão de Dom Luciano Mendes de Almeida – falecido Arcebispo da Arquidiocese e um dos “ícones” da Teologia da Libertação que hoje se tenta canonizar (cf. imagem).
Julio Lancellotti, o comunista “apóstolo” da nefasta teologia revolucionária. Ele, que já foi acusado de pedofilia e abuso sexual. E, que coincidência - quanta coincidência... Lancellotti teve como defensor o eminente advogado do PT: Luiz Eduardo Greenhalgh. Acusações nunca totalmente esclarecidas. Eis Julio Lancellotti, o pregador da ideologia de gênero LGBT-gayzista que comparou Jesus Cristo com um delinquente Black Bloc, e que foi ao Sindicato dos Metalúrgicos “abençoar” Lula horas antes de o bandido ter sido preso (cf. imagem).
Por conta dos críticos, as expectativas sobre Dom Airton crescem... boas expectativas, claro.
IV.
Enquanto Dom Airton José dos Santos não assume a Arquidiocese de Mariana... O “padre do PT” permanece enganando os católicos da circunscrição com o seu “apostolado” da Teologia da Libertação. Ele utiliza descaradamente a Arquidiocese para promover a sua reeleição e a candidatura de seus aliados, e ainda faz campanha pela liberdade do bandido Lula. 
O deputado federal João trai a Santa Igreja Católica e se coloca sem a menor vergonha a serviço do criminoso esquema de poder comunista. Um mal que – por zelo pastoral, para a proteção do seu rebanho – Dom Airton terá o dever de enfrentar.
REFERÊNCIAS.
[1]. Cf. “Laicato? A Arquidiocese de Mariana e a radicalização comuno-CNBBista contra os leigos e contra a Santa Igreja Católica” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/03/laicato-arquidiocese-de-mariana-e.html].
[4]. Cf. “O ritual comunista e o caráter satânico da idolatria a Lula” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/04/o-ritual-comunista-e-o-carater-satanico.html].
ARTIGOS RECOMENDADOS.
BRAGA, Bruno. “Estarrecedor: Arquidiocese de Mariana fomenta militância comunista e eleitoral” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/03/estarrecedor-arquidiocese-de-mariana.html].
______. “Laicato? A Arquidiocese de Mariana e a radicalização comuno-CNBBista contra os leigos e contra a Santa Igreja Católica” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/03/laicato-arquidiocese-de-mariana-e.html].

Sunday, April 22, 2018

CNBB: a 56ª Assembleia Geral e a Conferência dos Bispos no olho do furacão.


Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.

I.
Teve início hoje (11) a 56ª Assembleia Geral da CNBB. Então, vamos aproveitar que os Bispos estão reunidos em Aparecida (SP) para aqui acrescentar ao emaranhado de pedidos de explicação mais um.
Na última “nota”, você leu sobre o lançamento de uma obra grotesca intitulada “Jesus, o maior socialista que já existiu”. Lançamento que contou com a participação do “padre” Benedito Ferraro, “apóstolo” da nefasta Teologia da Libertação que é assessor da Pastoral Operária e das Comunidades Eclesiais de Base, das CEB’s [1].
Muito bem. Benedito Ferraro também é presidente da CESEEP – Centro Ecumênico de Serviço à Evangelização e Educação Popular. O CESEEP foi agraciado pela CNBB com dinheiro da Campanha da Fraternidade 2017 para promover um “Curso de Verão - 2018” (Cf. imagem) [2]. O tal curso foi realizado no início do ano, na PUC-SP, e recebeu um título bastante sugestivo: “Ética e Participação Popular na Política a Serviço do Bem Comum”. Mas, não foi só o título. No evento teve a pregação da mentira do “golpe”; houve a “consagração” da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e, claro, das CEB’s; até a Luíza Erundina deu as caras; e, o mais absurdo, aconteceu inclusive uma apresentação de Valter Pomar – para quem ainda não o conhece, trata-se do ex-Secretário Executivo do Foro de São Paulo, da organização fundada por Lula e por Fidel Castro para transformar a América Latina na imensa “Patria Grande” comunista (Cf. imagem) [3].
Portanto, seria importante que a CNBB pudesse explicar para os católicos como o dinheiro deles serviu para patrocinar mais essa aberração comunista, realizada pela CESEEP – que tem como presidente Benedito Ferraro, o “padre” que disse que “Deus é, pelo menos, bissexual ou transexual” [4].
II.
Este é Dom Esmeraldo Barreto de Farias. Ele substitui o Secretário Geral da CNBB - Dom Leonardo Ulrich Steiner - no comando da 56ª Assembleia Geral da Conferência dos Bispos do Brasil. Dom Esmeraldo Farias é Bispo auxiliar de São Luís (MA), e carrega um anel que causa preocupação: o anel de tucum - símbolo da nefasta Teologia da Libertação, do simulacro de teologia criado para perverter a fé católica, disfarçadamente tomar de assalto a Santa Igreja e utilizá-La para promover o criminoso esquema de poder comunista.
(*) Imagem. Cerimônia de abertura da 56ª Assembleia Geral da CNBB, 11 de abril de 2018.
III.
Dom Angélico Sândalo Bernardino participa da cerimônia de abertura da 56ª Assembleia Geral da CNBB. Ele, que conduziu o ritual comunista de caráter satânico para a idolatria do bandido Lula – ritual macabro transmitido ao vivo direto da sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC [5].
Na imagem, Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida – a padroeira e Rainha do Brasil – é carregada de forma indigna por uma freira que tem no dedo o anel de tucum. O símbolo da nefasta Teologia da Libertação, que é arma de assalto do esquema de poder criminoso comunista contra o qual a própria Santíssima Virgem Maria nos alertou em Fátima [6].
IV.
No “meeting point” de ontem - sexta-feira 13 -, a 56ª Assembleia Geral da CNBB estabeleceu como tema “A vivência do laicato na Igreja no Brasil”. Participaram da apresentação e da conversa com os jornalistas: Dom Severino Clasen, que é presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato e Bispo de Caçador (SC); e... veja só... Marilza Schuina, Presidente do Conselho Nacional do Laicato da CNBB que, na imagem, ostenta o seu anel de tucum.
Para quem não o conhece, ou não se lembra das “notas” publicadas aqui, o Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) é uma espécie de “sindicato” de leigos. “Inspirado” pela  nefasta Teologia da Libertação, ele levanta abertamente todas as causas e bandeiras pregadas pelos seus discípulos e “apóstolos”. A senhora Marilza Schuina – presidente do CNLB – é inclusive uma fervorosa defensora do bandido Lula [7].  
Ah, claro – mesmo com a militância ostensiva e escandalosamente contrária às orientações e aos princípios da Santa Igreja – o CNLB foi patrocinado pela CNBB com o dinheiro que os católicos doaram para a Campanha da Fraternidade [8].
Bom, você pode concordar com ele ou não, criticá-lo e até contestar os seus métodos, mas, não houve nenhuma iniciativa maior, de tamanha repercussão neste “Ano do Laicato” que a dos leigos que se levantaram na defesa da Santa Igreja, denunciando o assalto comunista e as fraudes da Teologia da Libertação. Esses leigos, contudo, não foram sequer mencionados no “meeting point” da Assembleia Geral. Pudera, eles também denunciaram – e continuam denunciando – os desvios e os crimes da própria CNBB. Eis que o “Ano do Laicato” aparece fraudado pela Conferência dos Bispos, ou pode-se de dizer que se trata de um autêntico “Ano do Laicato” comunista.  
V.
Não estou querendo montar aqui uma tese conspiratória ou acusar uma manipulação para a influenciar a opinião de internautas e telespectadores. Não. Trata-se apenas de algo no mínimo “curioso”. Veja só.
No “meeting point” da 56ª Assembleia Geral da CNBB, o que teve como tema “A vivência do laicato na Igreja no Brasil”, ficou claro o privilégio a um determinado tipo de leigo - aquele adequado aos “padrões” do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), do “sindicato” de leigos ali representado por sua presidente lulista, e “catequizado” pela Teologia da Libertação. Os leigos que se levantaram na defesa da Santa Igreja Católica, denunciando dentro Dela o assalto e a arruaça comunista, os desvios e crimes da CNBB, não, esses não tiveram espaço. Eles, que sem dúvida são responsáveis pela maior mobilização de leigos, foram ignorados no “Ano do Laicato” da CNBB [9].
Mas, no mesmo dia, e no âmbito da 56ª Assembleia, foi proposta uma “conversa” a partir da pergunta: “você acredita que um cristão pode ser violento e intolerante nas redes sociais?”. Ah, as “redes sociais”, justamente o ambiente em que os leigos ignorados travam a sua luta pela Igreja e exigem da CNBB respostas e explicações para denúncias amplamente documentadas. Denúncias que a Conferência dos Bispos nunca respondeu de forma objetiva e, quando tentou, acabou metendo os pés pelas mãos e se comprometendo ainda mais [10]. Denúncias das quais os CNBBistas se esquivam, até com processos sumários de excomunhão via TV e, claro, acusando os proponentes de disseminarem a “violência” e a “intolerância” nas “redes sociais”.
Enfim, é só uma curiosidade... Cada um que faça o seu próprio julgamento.    
VI.
A pregação no retiro dos Bispos que participam da 56ª Assembleia Geral da CNBB ficou a cargo de Dom José Luiz Azcona, Bispo Emérito da Prelazia de Marajó (PA). É inegável que Dom Azcona tem um trabalho de coragem e a princípio muito honroso: colocou a sua vida em risco para denunciar o tráfico de pessoas – “Se um dia morro por Cristo que morreu pelos pecadores, e que morreu por mim, será o dia mais feliz” [11].
No entanto, não se pode ignorar que Dom Azcona foi um dos principais participantes do III Fórum Mundial de Teologia da Libertação, que aconteceu em Belém, capital do Pará, em 2009. O Fórum Social Mundial de Teologia da Libertação, como já é de conhecimento geral, é um evento associado ao Fórum Social Mundial – que deveria ser chamado mais propriamente de Fórum Social Comunista, e que neste ano de 2018 contou com a participação escandalosa da CNBB [12].
Dom Azcona teve a companhia de um pastor cubano, que fez “uma oração de louvor e ação de graças à Revolução Cubana” – no que foi bastante aplaudido por enaltecer o sanguinário regime comunista (Cf. imagem) [13]. Na apresentação do seu testemunho, o agora Bispo Emérito de Marajó afirmou que “Teologia da Libertação não se faz em gabinetes, mas em ações concretas”, e acabou deixando à mostra o arriscado caráter materialista e o imanentismo historicista apontados pela Congregação para a Doutrina da Fé que esse simulacro de teologia carrega – disse Dom Azcona: “não tem libertação, não tem teologia, se não vai à história” [14].
VII.
Na coletiva de imprensa de hoje, 16 de abril, Dom Severino Clasen, Bispo de Caçador (SC), foi convocado para falar novamente sobre o Ano do Laicato no âmbito da 56ª Assembleia Geral da CNBB [15]. E mais uma vez Dom Severino ignorou o maior movimento de leigos do país – o que denuncia o assalto comunista dentro da Santa Igreja e que pede justamente explicações para a CNBB sobre os seus desvios e crimes e sobre a aplicação do dinheiro doado pelos fiéis para a Campanha da Fraternidade em projetos e atividades que contrariam a fé católica.
“Leigo”, para a CNBB, continua sendo aquele “padrão” CNLB – o “sindicato” dos leigos presidido por uma defensora do bandido Lula, o que forma um laicato engajado e militante na “catequese” pervertida da Teologia da Libertação [16].
VIII.
Para os que ainda não a conhecem, esta é Marilza Schuina, a presidente do CNLB – o “sindicato” dos leigos que trabalha com a CNBB na promoção do “Ano do Laicato” [17]. Na imagem, Marilza chora a prisão do bandido Lula, do chefe da quadrilha comunista que saqueou o país e tomou de assalto a Santa Igreja Católica sob os disfarces da nefasta Teologia da Libertação. Marilza Schuina chora diante de uma imagem da Santíssima Virgem Maria, de Nossa Senhora, que nos alertou em Fátima justamente sobre os males do comunismo. Marilza pede liberdade para o “leigo” Lula – e por aí já se pode ter uma ideia do tipo de leigo que será celebrado pela CNLB e pela CNBB neste “Ano do Laicato”.
IX.
Na coletiva de imprensa de hoje, 17 de abril, Dom Francisco Biasin, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso, foi o responsável por abordar o tema do “diálogo” e, claro, do “ecumenismo” no âmbito da 56ª Assembleia Geral da CNBB.
Na sua apresentação, Dom Biasin, que é Bispo de Barra do Piraí (RJ). enalteceu a escabrosa comemoração, no ano passado, dos 500 anos da Reforma – a celebração do cisma e da heresia -, e anunciou para este ano de 2018 alguns eventos, entre eles, a comemoração dos 70 anos do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) (World Council of Churches) [18].
O Conselho Mundial de Igrejas, no entanto, é uma organização “ecumênica” que foi tomada pelo serviço secreto soviético, transformando-se em uma das principais bases para a disseminação da Teologia da Libertação – o simulacro de teologia criado para enganar os católicos, tomar de assalto a Santa Igreja e utilizá-La em favor dos projetos e interesses comunistas. É Ion Mihai Pacepa, ex-agente do serviço de inteligência da Romênia comunista, quem conta:
"O CMI, sediado em Genebra e representando a Igreja Ortodoxa Russa e outras pequenas denominações em mais de 120 países, JÁ ESTAVA SOB O CONTROLE DO SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA INTERNACIONAL SOVIÉTICO. POLITICAMENTE, HOJE AINDA PERMANECE SOB O CONTROLE DO KREMLIN por meio de muitos sacerdotes ortodoxos que são proeminentes no CMI e ao mesmo tempo agentes da inteligência russa" [19]. [...] “Em 1971, a KGB o enviou a Genebra (Suíça) como representante da Igreja Ortodoxa Russa no Conselho Mundial de Igrejas (CMI), a maior organização ecumênica internacional depois do Vaticano, que representa aproximadamente 550 milhões de cristãos de várias denominações em 120 países. O objetivo era usar sua posição no CMI para espalhar a doutrina da Teologia da Libertação – um movimento religioso marxista que nasceu na KGB – pela América Latina. Em 1975, a KGB infiltrou “MIKHAYLOV” no Comitê Central do CMI, e em 1989 a KGB o apontou como presidente de relações internacionais do patriarcado russo – posições que ele mantinha quando foi “eleito” patriarca” [20]. [...] “A Teologia da Libertação foi então formalmente apresentada ao mundo pelo Conselho Mundial de Igrejas. Revelações mostram que todo o exército de cooptadores e de oficiais disfarçados da KGB foi enviado de Moscou para ajudar” [21].  
“Mikhaylov”, o agente da KGB que hoje é o Patriarca Kirill de Moscou e de toda a Russia – com quem o Papa Francisco se encontrou em Cuba [22].
Frei Betto e Leonardo Boff são figuras prestigiadas pelo Conselho Mundial de Igrejas [23]. Os “apóstolos” da Teologia da Libertação, “apóstolos” do Foro de São Paulo [24].
X.
E o sétimo dia da 56ª Assembleia Geral da CNBB, ontem, 17 de abril, foi concluído com uma celebração ecumênica. Bispos da CNBB de “mãos dadas”, posando para as câmeras e enaltecendo, louvando o cisma e a heresia [25]. O ritual contou com a participação fundamental do CONIC – um conselho de seitas “inspirado” pela Teologia da Libertação, e do qual faz parte a própria CNBB. O CONIC recentemente foi objeto de escândalo – mais um, entre tantos - por conta de uma reunião com a bancada do PT no Senado para um “encontro ecumênico” comunista [26].

XI.
Este é Dom Severino Clasen, Bispo de Caçador (SC). Ele é o atual presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB. No entanto, na 56ª Assembleia Geral da Conferência dos Bispos, sempre que convocado para falar com a imprensa a respeito do laicato, ele ignorou o maior movimento de leigos do país – o daqueles que denunciam o assalto comunista dentro da Santa Igreja e pedem à CNBB explicações sobre desvios e crimes, sobre o patrocínio de projetos e grupos contrários à fé católica com dinheiro da Campanha da Fraternidade.
É hora então de aumentar a lista de pedidos de explicações. Dom Severino Clasen participou da 14ª Intereclesial das CEB’s – o evento que escandalizou o país e o mundo por conta da militância comunista ostensiva [27]. Consta que ele fez inclusive uma leitura de apoio a Dom Geremias Steinmetz (cf. imagem) [28]. Dom Geremias, o anfitrião da Intereclesial - e também “estagiário” de Frei Betto - conhecido pela forma “gentil” com a qual se referiu aos católicos que denunciaram os escândalos: “deeeixa latiiir”... [29]
É preciso, portanto, que Dom Severino Clasen esclareça que tipo e grau de compromisso teve com a militância comunista da 14ª Intereclesial das CEB’s. Que esclareça se esse compromisso o influencia na condução da Comissão Pastoral Episcopal para o Laicato da CNBB – se influencia no privilégio que dá a um tipo de leigo na promoção deste “Ano do Laicato”, o leigo que atende os padrões estabelecidos pelo “sindicato dos leigos” da CNLB, inspirado na Teologia da Libertação e presidido por uma chorosa “viúva” do bandido Lula [30].
XII.
Dom Claudio Hummes participou da coletiva de imprensa de hoje, 18 de abril, na 56ª Assembleia Geral da CNBB [31]. O Bispo Emérito de São Paulo, que é amigo do Papa e que sugeriu a Bergoglio a escolha do nome “Francisco”, falou sobre o Sínodo da Amazônia. Sínodo que desperta apreensão e desconfiança desde que foi anunciado, sobretudo por causa dos “novos caminhos” que serão discutidos – ele, que terá justamente como tema “Amazônia: NOVOS CAMINHOS para a Igreja e para uma ecologia integral”.
É preciso que os católicos saibam que Dom Claudio Hummes também é amigo de Lula – e amigo de “longa data” (cf. imagem) [32]. Ele, que no auge do escândalo do mensalão, disse: “Eu daria a ele [LULA] um grande abraço, certamente daria a ele um grande abraço e diria que EU ESPERO QUE ELE CONSIGA DAR A VOLTA POR CIMA e RECONSTRUIR ESSE GOVERNO E LEVAR EM FRENTE O GOVERNO E LEVAR EM FRENTE O GOVERNO E TERMINAR, [é] isso que eu diria a ele. E eu espero isso dele, que tem capacidade de fazer isso. A ESTRUTURA MORAL INTERIOR ELE TEM, para isso” [33]. Dom Claudio Hummes, que foi um dos principais responsáveis pela ascensão política de Lula e da Teologia da Libertação, que “consagrou” e elevou o “metalúrgico” aos altares do ritual comunista e à Presidência da República (cf. imagem – na foto inferior, Frei Betto, Lula e Hummes).

REFERÊNCIAS.
[2]. Cf. Fundo Nacional de Solidariedade, Cronograma e Projetos aprovados, ano 2017, 2ª reunião [http://fns.cnbb.org.br/fundo/informativo/index].
[3]. Cf. “A ‘prestação de contas’ do ex-Secretário do Foro de São Paulo” [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/05/a-prestacao-de-contas-do-ex-secretario.html].
[5]. Cf. “O ritual comunista e o caráter satânico da idolatria a Lula” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/04/o-ritual-comunista-e-o-carater-satanico.html].
[6]. Cf. Vídeo, tempo [03:53] [https://youtu.be/sEIUCVTdbk0].
[10]. Cf. “A CNBB e a desastrada tentativa de explicar o injustificável” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/02/a-cnbb-e-desastrada-tentativa-de.html].
[11]. Cf. “Obispo del Brasil, ‘marcado’ para morir por enfrentarse al tráfico de personas”. Infocatólica, 17 de dezembro de 2014 [http://www.infocatolica.com/?t=noticia&cod=22781].
[12]. Cf. “O Fórum Social Mundial 2018 e a escabrosa participação da CNBB no evento comunista” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/03/o-forum-social-mundial-2018-e-escabrosa.html].
[13]. Cf. “Direitos Humanos, Teologia e Profecia”. Revista Missões, 25 de janeiro de 2009 [http://www.revistamissoes.org.br/2009/01/direitos-humanos-teologia-e-profecia/].
[14]. Idem.
[19]. Cf. "A KGB criou a Teologia da Libertação". Tradução do Capítulo "Liberation Theology" (15), que é parte do livro "Disinformation": former spy chief reveals secret strategis for undermining freedom, attacking religion, and promoting terrorism (WND Books: Washington, 2013) - escrito por Ion Mihai Pacepa e Ronald J. Rychlak [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/01/a-kgb-criou-teologia-da-libertacao.html].
[20]. Cf. "A Cruzada religiosa do Kremlin". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/04/a-cruzada-religiosa-do-kremlin.html].
[21]. Idem.
[22]. Cf. “Francisco: Fidel e a Religião” [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/francisco-fidel-e-religiao.html]; “Raúl Castro dá ao Papa uma ‘calurosa bienvenida’ comunista” [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html]; “Francisco, Kirill e Fátima” [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/02/francisco-kirill-e-fatima.html]; “O agente ‘Mikhaylov’ na América Latina” [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/03/o-agente-mikhaylov-na-america-latina.html].
[23]. Cf. “Para além das ‘aparências’” [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/03/para-alem-das-aparencias.html].
[24]. Cf. “Os ‘apóstolos’ do Foro de São Paulo” [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/06/os-apostolos-do-foro-de-sao-paulo.html].
[26]. Cf. “Campanha da Fraternidade 2018: mais uma iniciativa de ‘inspiração’ comunista da CNBB”, nota VII [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/02/campanha-da-fraternidade-2018-mais-uma.html].
[27]. Cf. “CEB’s: mais uma Intereclesial comunista” [http://b-braga.blogspot.com.br/2018/02/cebs-mais-uma-intereclesial-comunista.html].
[28]. Fonte da imagem. Bernardo Pires Küster.