Sunday, May 15, 2016

Fantástico adapta a "família" à "novilíngua" gayzista.

Bruno Braga.


"Fantástico, o show da vida". É o famoso slogan do programa dominical da Rede Globo. O que ele frequentemente faz aos fins de semana, porém, é oferecer para o telespectador um espetáculo grotesco de falsificação e manipulação da realidade.  
No último domingo, 08 de maio, o Fantástico utilizou o "Dia das Mães" como artifício para promover novamente a fantasia dos "novos tipos de família". Para isso, celebrou a iniciativa do Dicionário Houaiss, que reformulou o conceito de "família", adequando-o à fraude da "novilingua" gayzista [1].

O quadro mostra como coisa muito "normal" duas lésbicas que adotaram uma criança. Uma delas diz com entusiasmo que o seu filho tem "duas mães". O telespectador, no entanto, não é informado sobre as pesquisas que denunciam as consequências nefastas para crianças que são criadas na ausência da figura paterna: 23% dos filhos de mães lésbicas foram molestados sexualmente pelos pais ou por um adulto, o mesmo aconteceu com 2% dos filhos criados por pai e mãe; filhos de mães lésbicas têm 11 vezes mais chance de serem molestados; na infância, 69% dos filhos de mães lésbicas vivem com assistência do governo, contra 17% de filhos de pais e mães casados – na fase adulta, são 38% contra 10%; 5% dos filhos de pais casados cogitaram o suicídio no ano anterior ao da pesquisa, enquanto 12% dos filhos de lésbicas e 24% de filhos de pais homossexuais.

A "fantástica" família com "duas mães" despreza depoimentos como o de Heather Barwick: "A ausência do meu pai criou um grande vazio em mim e eu sofria todo dia por não ter um. Eu amo a parceira da minha mãe, mas outra mãe nunca substituirá o pai que eu perdi" [2].

Na conclusão da matéria, o Fantástico contrasta a iniciativa do Houaiss com o "Estatuto da Família". Esclarece que o "Estatuto" - que preserva o núcleo familiar como o formado por um homem, uma mulher e seus descendentes - não afetará determinados "direitos" das "novas famílias". Direitos que já eram reconhecidos pela Justiça e por órgãos públicos antes mesmo do STF fraudar a Constituição Federal [3]. De qualquer maneira, fica evidente o louvor à "família" criada por "intelectuais" e engenheiros sociais, e a reprovação daquela consagrada no "Estatuto", a família natural que todos sempre celebraram no domingo do "Dia das Mães".

O Fantástico vai mais longe. Em outro quadro mostrou mães que, por "amor aos filhos", plantam maconha [4]. Claro, não se trata aqui de desprezar o drama dessas mães nem o sofrimento delas. No entanto, o programa formula uma apresentação do caso, ele a dramatiza, para que o telespectador pense: a "cannabis" é o tratamento mais eficiente e a única saída para a mãe é tornar-se maconheira. É o tipo de matéria elaborada para dessensibilizar. Quebrar as resistências e preparar o ambiente para a aprovação de mais uma bandeira do "Mundo Novo" e do "show da vida": a legalização das drogas.

O Fantástico não tem nenhum compromisso com a informação. No último domingo, deu mais uma amostra escandalosa disso [5]. O propósito do programa é promover uma disparatada engenharia social e comportamental - e cada vez se suja mais para implementá-la, enganando os telespectadores, utilizando de forma repugnante inclusive o que para eles é tão caro, a mãe e a família.


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "Dicionário Houaiss reescreve o verbete 'família'", Fantástico, 09 de maio de 2016 [http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/05/dicionario-houaiss-reescreve-o-verbete-familia.html].

[2]. Cf. "O 'Fantástico' e a fraude gayzista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/07/o-fantastico-e-fraude-gayzista.html].


[4]. Cf. "Mães plantam maconha para produzir remédios para os filhos no Chile", Fantástico, 08 de maio de 2016 [http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/05/maes-plantam-maconha-para-produzir-remedios-para-os-filhos-no-chile.html].

[5]. Cf. "O 'Fantástico' e a fraude gayzista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/07/o-fantastico-e-fraude-gayzista.html]; "A 'fantástica' propaganda gayzista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/04/a-fantastica-propaganda-gayzista.html]; "Bolsonaro, Ustra: o 'torturador' e a mitologia comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/04/bolsonaro-ustra-o-torturador-e.html].

Comunismo e Maçonaria: o "apostolado" de Valentini.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

O Bispo Emérito de Jales (SP) - Demétrio Valentini - é um dos luminares do "apostolado" da Teologia da Libertação. Ele contribuiu ativamente para a construção do esquema de poder comuno-petista que, para tomar de assalto o aparato político e administrativo do país, tomou de assalto a Igreja Católica. Recentemente, ele se apresentou para defender a "obra" que ajudou a levantar: a Presidente Dilma Rousseff  - e, por consequência, todo o projeto de poder para o qual a mandatária trabalha (Cf. nota II).

Valentini, porém, não se contenta com a militância comunista. Ele contraria a Igreja consagrando-se a um escabroso envolvimento com a Maçonaria. Veja as imagens. Elas são de 2012. Registram o então Bispo Diocesano celebrando o 53º aniversário da Loja Maçônica Coronel Balthazar, em Jales, e pregando uma aproximação entre a Igreja Católica e a Maçonaria [1].

O documento da Congregação para a Doutrina da Fé, redigido pelo então cardeal Joseph Ratzinger - hoje Papa Emérito Bento XVI - é bastante claro a respeito do assunto: "Permanece portanto IMUTÁVEL o PARECER NEGATIVO DA IGREJA A RESPEITO DAS ASSOCIAÇÕES MAÇÔNICAS, pois OS SEUS PRINCÍPIOS FORAM SEMPRE CONSIDERADOS INCONCILIÁVEIS COM A DOUTRINA DA IGREJA e por isso PERMANECE PROIBIDA A INSCRIÇÃO NELAS. OS FIÉIS QUE PERTENCEM ÀS ASSOCIAÇÕES MAÇÔNICAS ESTÃO EM ESTADO DE PECADO GRAVE e NÃO PODEM APROXIMAR-SE DA SAGRADA COMUNHÃO" [2].

E uma observação importante: "Não compete às autoridades eclesiásticas locais pronunciarem-se sobre a natureza das associações maçónicas com um juízo que implique derrogação de quanto foi acima estabelecido" [...] [3]. Portanto, nem um Bispo - como Valentini -, muito menos um padre, pode mudar o que foi determinado pela Congregação. 

Se um Bispo ou padre afirmar que não há problema em ser "católico" e "maçom", saiba: ou você está diante de alguém que não sabe o que está falando, ou de um mentiroso. Para os persistentes e teimosos - que conhecem a posição da Igreja, mas fingem que é possível ser "católico" e "maçom", utilizando como escudo a ignorância ou mentira do Bispo, do padre - não há defesa ou desculpa para a sua conduta, pois sabem qual é a verdadeira orientação.

Muito bem. Comunismo, Maçonaria. Eis o "apostolado" de Demétrio Valentini. "Pregar" o que é incompatível, o que contraria frontalmente os princípios e orientações da Igreja Católica. 

II.

Bispo Emérito de Jales (SP) prega a salvação de Dilma com a mentira do "golpe". 

Ouça o áudio. 

OBS: a foto - de Dom Luiz Gonzaga Fechio - não corresponde ao áudio - que é de Luiz Demétrio Valentini.

Luiz Demétrio Valentini não discursa apenas na defesa do mandato da Presidente petista - a quem serviu como cabo eleitoral nas eleições de 2010 e 2014. Valentini enaltece e rende louvores a um esquema de poder que, sem os tipos ideológicos e disfarces publicitários, é integralmente contrário à fé católica.

O Bispo Emérito de Jales é um conhecido "apóstolo" da Teologia da Libertação - do simulacro de teologia criado para distorcer a fé, enganar os católicos e utilizar sorrateiramente a Igreja para promover os interesses comuno-petistas. 
Valentini, portanto, pontifica em favor de sua própria obra: não apenas da Presidente que ajudou a eleger, mas do projeto comunista construído com a "pregação" de "pastores" como ele. 

Luiz Demétrio Valentini é ex-presidente da Cáritas Brasileira e trabalhou ativamente dentro da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "Aproximação entre Igreja e Maçonaria pode começar por Jales, sugere bispo". Jornal de Jales, 16 de abril de 2012 [http://jornaldejales.com.br/noticia/555/aproximacao-entre-igreja-e-maconaria-pode-comecar-por-jales-sugere-bispo].  

[2]. Cf. Congregação para a Doutrina da Fé, "Declaração sobre a Maçonaria", 26 de novembro de 1983 [http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19831126_declaration-masonic_po.html].

[3]. Idem.

Thursday, May 12, 2016

A aliança entre a Maçonaria e o Comunismo.

Bruno Braga.
Material para estudo [1].



I. 

O objetivo da Maçonaria organizada: neutralizar e "instrumentalizar" a Igreja Católica.

Como vimos quanto ao exemplo de Portugal em 1917, as forças da MAÇONARIA (E OS SEUS ALIADOS COMUNISTAS) conspiraram para impedir que a MENSAGEM DE FÁTIMA acabasse de se cumprir em Portugal. Insinuou-se que a Mensagem era uma fraude ou uma ilusão infantil; os próprios videntes foram perseguidos e até ameaçados de morte. Tal era o ódio destas forças contra a Igreja Católica e a Virgem Mãe de Deus.

O mesmo sucede com estas forças que hoje estão à solta por todo o Mundo. Não é preciso descer aos devaneios das teorias de conspiração para saber que, ATÉ 1960, OS PAPAS ESCREVERAM MAIS CONDENAÇÕES E AVISOS SOBRE OS MANEJOS DOS MAÇONS E DOS COMUNISTAS CONTRA A IGREJA DO QUE SOBRE QUALQUER OUTRO TEMA NA HISTÓRIA DA IGREJA. 

Sobre este ponto, não podemos deixar de considerar a infame "PERMANENT INSTRUCTION OF THE ALTA VENDITA", um DOCUMENTO MAÇÔNICO QUE DELINEAVA TODO UM PLANO PARA INFILTRAR E CORROMPER A IGREJA CATÓLICA NO SÉCULO XX. Apesar de estar na moda, desde o Concílio Vaticano II, ridicularizar a existência de uma tal conspiração, deve notar-se que os papéis secretos da Alta Vendita (uma sociedade secreta italiana), entre os quais a "Permanent Instruction", CAÍRAM NAS MÃOS DO PAPA GREGÓRIO XVI. A "Permanent Instruction" FOI PUBLICADA A PEDIDO DO BEM-AVENTURADO PAPA PIO IX pelo Cardeal Crétineau-Joly no seu livro "The Roman Church and Revolution". Pelo seu Breve de aprovação, datado de 25 de Fevereiro de 1861 e endereçado ao autor, O PAPA PIO IX GARANTIU A AUTENTICIDADE DA "PERMANENT INSTRUCTION" E DOS OUTROS DOCUMENTOS MAÇÔNICOS", mas não permitiu que se divulgassem os nomes verdadeiros dos membros da Alta Vendita mencionados nos documentos. O PAPA LEÃO XIII TAMBÉM PEDIU A SUA PUBLICAÇÃO. Ambos os Papas actuaram, certamente, para evitar que se concretizasse uma tal tragédia, que estes grandes Pontífices sabiam que estava longe de ser impossível. (O PAPA PIO XII também o sabia, como podemos inferir dos comentários proféticos que fez quando ainda era Secretário de Estado do Vaticano).

O texto completo da "Permanent Instruction" também se encontra no livro de Monsenhor George E. Dillon, "Grand Orient Freemasonry Unmasked". QUANDO DERAM UM EXEMPLAR DO LIVRO DE MONSENHOR DILLON AO PAPA LEÃO XIII, ESTE FICOU TÃO IMPRESSIONADO QUE ENCOMENDOU QUE SE FIZESSE UMA EDIÇÃO ITALIANA, PAGA POR SUA CONTA.

A Alta Vendita era a loja mais categorizada dos Carbonários, uma sociedade secreta italiana ligada à Maçonaria e que, juntamente com esta, FOI CONDENADA PELA IGREJA CATÓLICA. O respeitável historiador católico Padre E. Cahill, S.J., que não pode ser considerado como um "maníaco das conspirações", escreveu no seu livro "Freemasonry and the Anti-Christian Movement", que A ALTA VENDITA "ERA GERALMENTE CONSIDERADA NA ALTURA COMO O CENTRO GOVERNATIVO DA MAÇONARIA EUROPEIA". Os Carbonários estiveram especialmente activos na Itália e na França (e em Portugal, sobretudo de 1910 a 1926).

No seu livro "Athanasius and the Church of Our Time" (1974), o Bispo Rudolph Graber, autoridade objectiva e irrepreensível que escreveu depois do Concílio Vaticano II, citou um Maçom ilustre que declarou que "O OBJECTIVO (DA MAÇONARIA) JÁ NÃO É A DESTRUIÇÃO DA IGREJA, MAS UTILIZÁ-LA ATRAVÉS DA INFILTRAÇÃO". Por outras palavras, COMO A MAÇONARIA NÃO PODE OBLITERAR COMPLETAMENTE A IGREJA DE CRISTO, TENCIONA NÃO SÓ EXTIRPAR A INFLUÊNCIA DO CATOLICISMO NA SOCIEDADE, COMO TAMBÉM USAR A ESTRUTURA DA IGREJA COMO INSTRUMENTO DE "RENOVAÇÃO", "PROGRESSO" E "ILUMINAÇÃO" - ISTO É, COMO UM MEIO DE LEVAR A CABO MUITOS DOS PRINCÍPIOS E OBJETCTIVOS MAÇÔNICOS.

Ao discutir a visão maçônica da sociedade e do Mundo, o Bispo Graber introduz o conceito de sinarquia: "O que agora enfrentamos é a súmula das forças secretas de todas as 'ordens' e escolas, QUE SE UNIRAM PARA FORMAR UM GOVERNO MUNDIAL INVISÍVEL. Num SENTIDO POLÍTICO, a sinarquia PRETENDE INTEGRAR TODAS AS FORÇAS DA FINANÇA E DA SOCIEDADE QUE O GOVERNO MUNDIAL, NATURALMENTE SOB CHEFIA SOCIALISTA [COMUNISTA], TEM QUE APOIAR E PROMOVER. O CATOLICISMO, COMO TODAS AS RELIGIÕES, SERIA CONSEQUENTEMENTE ABSORVIDO NUM SINCRETISMO UNIVERSAL. NÃO SÓ NÃO SERIA SUPRIMIDO COMO, PELO CONTRÁRIO, SERIA INTEGRADO, UMA TÁCTICA QUE JÁ ESTÁ EM ANDAMENTO SEGUNDO O PRINCÍPIO DA FRATERNIDADE ENTRE OS CLERIGOS (DAS VÁRIAS RELIGIÕES)".

A estratégia delineada pela "Permanent Instruction" para atingir este objectivo é espantosa pela sua audácia e astúcia. O documento refere-se, desde o princípio, a um processo que levará décadas a cumprir. Os autores do documento sabiam que não viveriam para assistir ao seu triunfo. Estavam, sim, a inaugurar uma obra que seria retomada por gerações sucessivas de iniciados. COMO DIZ A "PERMANENT INSTRUCTION": "NAS NOSSAS FILEIRAS O SOLDADO MORRE MAS A LUTA CONTINUA".

A "INSTRUCTION" PROPUNHA A DISSEMINAÇÃO DAS IDEIAS E AXIOMAS LIBERAIS [1] PELA SOCIEDADE E [2] DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DA IGREJA CATÓLICA, DE TAL MODO QUE OS LEIGOS, SEMINARISTAS, CLERIGOS E PRELADOS SERIAM GRADUALMENTE, E AO LONGO DOS ANOS, IMBUÍDOS DE PRINCÍPIOS PROGRESSISTAS. Esta nova mentalidade viria eventualmente a ser tão difusa que seriam ordenados Padres, sagrados Bispos e nomeados Cardeais indivíduos cujo pensamento estaria em harmonia com as ideias modernas baseadas nos "Princípios de 1789" (isto é, os princípios da Maçonaria, que inspirou a Revolução Francesa) - ou seja: o pluralismo, a igualdade de todas as religiões, a separação da Igreja e do Estado, a liberdade de expressão sem restrições, e assim por diante.

CHEGAR-SE-IA POR FIM A ELEGER UM PAPA VINDO DESTES MEIOS, QUE LEVARIA A IGREJA PELO CAMINHO DA "ILUMINAÇÃO E RENOVAÇÃO". Note-se, desde já, que NÃO ESTAVA NOS SEUS PLANOS COLOCAR UM MAÇOM NA CADEIRA DE S. PEDRO. O SEU OBJECTIVO ERA CRIAR AS CONDIÇÕES QUE ACABARIAM POR PRODUZIR UM PAPA E UMA HIERARQUIA CONQUISTADOS PELAS IDEIAS DO CATOLICISMO LIBERAL, "AO MESMO TEMPO QUE SE CONSIDERAVAM CATÓLICOS FIÉIS".

Estes dirigentes católicos liberalizados deixariam de se opor às ideias modernas da Revolução (ao contrário dos Papas de 1789 a 1958, que condenaram de forma unânime estes princípios liberais), mas, pelo contrário, AMALGAMÁ-LOS-IAM À IGREJA OU "BAPTIZÁ-LOS-IAM" PARA OS COLOCAREM DENTRO DA IGREJA. O RESULTADO FINAL SERIA UM CLERO E UM LAICADO CATÓLICOS QUE MARCHARIAM SOB A BANDEIRA DA "ILUMINAÇÃO", PENSANDO AO MESMO TEMPO ESTAREM A MARCHAR SOB A BANDEIRA DAS CHAVES APOSTÓLICAS.

Certamente com a "Permanent Instruction" no pensamento, o PAPA LEÃO XIII em "Humanum Genus" exortou os dirigentes católicos: "ARRANCAI À MAÇONARIA A MÁSCARA COM QUE ELA SE COBRE, E FAZEI-A VER TAL QUAL É". A publicação destes documentos da Alta Vendita era um meio de "arrancar a máscara". 

Para que não se diga que nós interpretámos mal a "Permanent Instruction", vamos agora citá-la extensamente. O que se segue não é a "Instruction" completa, mas a secção mais relevante como prova. Lê-se no documento:
O Papa, qualquer que ele seja, não virá às sociedades secretas; COMPETE ÀS SOCIEDADES SECRETAS DAR O PRIMEIRO PASSO EM DIRECÇÃO À IGREJA, PARA CONQUISTAR AMBOS.
A tarefa que vamos empreender não é trabalho de um dia, ou de um mês, ou de um ano; pode durar vários anos, talvez um século; mas nas nossas fileiras o soldado morre e a luta continua.
Não tencionamos atrair os Papas à nossa causa, fazê-los neófitos dos nossos princípios, propagadores das nossas ideias. Isso seria um sonho ridículo; e se acontecesse que Cardeais ou prelados, por exemplo, quer por sua livre vontade ou de surpresa, entrassem em parte dos nossos segredos, isso não seria de modo nenhum um incentivo para desejar a sua elevação à Cadeira de Pedro. Essa elevação arruinar-nos-ia. Só a sua ambição levá-los-ia à apostasia, e as necessidades do poder forçá-los-iam a sacrificar-nos. O QUE DEVEMOS DESEJAR, O QUE DEVEMOS PROCURAR E ESPERAR, TAL COMO OS JUDEUS ESPERAM PELO MESSIAS, É UM PAPA CONFORME ÀS NOSSAS NECESSIDADES (...)
Com isto marcharemos com mais segurança para o ASSALTO À IGREJA do que com panfletos dos nossos irmãos em França e até do que com o ouro da Inglaterra. Quereis saber a razão? É que com isto, para despedaçar a grande rocha em que Deus erigiu a Sua Igreja, já não precisamos de vinagre anibaliano, ou de pólvora, ou mesmo das nossas armas. Temos o dedo mínimo do sucessor de Pedro comprometido nesta empresa, e este dedinho vale tanto, para esta cruzada, como todos os Urbanos II e todos os São Bernardos da Cristandade. 
Não temos dúvidas de que chegaremos a este fim supremo dos nossos esforços. Mas quando? Mas como? O desconhecido ainda não foi revelado. Contudo, visto que NADA NOS IRÁ DESVIAR DO PLANO ESTABELECIDO E, PELO CONTRÁRIO, TUDO TENDERÁ PARA ELE, como se já amanhã o trabalho que mal foi esboçado fosse coroado de sucesso, desejamos, nesta Instrução, QUE SE MANTERÁ SECRETA PARA OS SIMPLES INICIADOS, dar aos dignitários na chefia da Suprema Vendita alguns CONSELHOS em forma de instrução ou memorando, CONSELHOS ESSES QUE ELES DEVERÃO IMBUIR EM TODOS OS IRMÃOS (...)
Ora bem, para assegurarmos um Papa com as características desejadas, é preciso, em primeiro lugar, medelá-lo (...) (e,) para este Papa, UMA GERAÇÃO DIGNA DO REINADO QUE SONHAMOS. PONDE DE PARTE OS VELHOS E OS DE IDADE MADURA; DEDICAI-VOS AOS JOVENS E, SENDO POSSÍVEL, ATÉ ÀS CRIANÇAS (...) CONSEGUIREIS SEM GRANDE CUSTO UMA REPUTAÇÃO DE BONS CATÓLICOS E DE PUROS PATRIOTAS.
Esta reputação dará acesso à nossa doutrina entre os jovens Clerigos, assim como entrará profundamente nos mosteiros. Em poucos anos, pela força das coisas, este jovem Clero terá ascendido a todas as funções; formará o conselho do Sumo Pontífice, será chamado a escolher o novo Pontífice que há de reinar. E este Pontífice, TAL COMO A MAIORIA DOS SEUS CONTEMPORÂNEOS, ESTARÁ NECESSARIAMENTE MAIS OU MENOS IMBUÍDO DOS PRINCÍPIOS ITALIANOS E HUMANITÁRIOS QUE VAMOS COMEÇAR A PÔR EM CIRCULAÇÃO. É um grãozinho de mostarda preta que vamos confiar à terra; mas o sol da justiça desenvolvê-lo-á ao mais alto poder, e vereis um dia que rica colheita esta sementezinha produzirá.
No caminho que estamos a traçar para os nossos irmãos, há muitos grandes obstáculos a conquistar, dificuldades de mais do que um género para dominar. Eles triunfarão sobre aqueles pela experiência e pela clarividência; mas o objectivo é de tal esplendor que é importante abrir todas as velas ao vento para o alcançar. Se quereis revolucionar a Itália, procurai o Papa cujo retrato acabámos de esboçar. SE QUEREIS ESTABELECER O REINO DOS ESCOLHIDOS NO TRONO DA PROSTITUTA DA BABILÔNIA, FAZEI COM QUE O CLERO MARCHE SOB A VOSSA BANDEIRA, ENQUANTO ACREDITA QUE ESTÁ A MARCHAR SOB A BANDEIRA DAS CHAVES APOSTÓLICAS. Se quereis fazer desaparecer o último vestígio dos tiranos e opressores, deitais as vossas redes como Simão Bar-Jona; deitai-as nas sacristias, nos seminários e nos mosteiros em vez de as deitardes no fundo do mar; e, se não vos apressardes, prometemo-vos uma pescaria mais miraculosa que a dele. O pescador de peixes tornou-se pescador de homens; COLOCAREIS AMIGOS À VOLTA DA CADEIRA APOSTÓLICA. TEREIS PREGADO UMA REVOLUÇÃO DE TIARA E DE CAPA, MARCHANDO COM A CUZ E O ESTANDARTE; UMA REVOLUÇÃO QUE SÓ PRECISARÁ DE SER UM POUCO INSTIGADA PARA INCENDIAR OS QUATRO CANTOS DO MUNDO.   

II.

A aliança entre a Maçonaria e o Comunismo.

Note-se que, ao combater por estes objectivos, OS MAÇONS ERAM CAMARADAS DE LUTA DOS COMUNISTAS, que conspiravam com eles para derrubar a Igreja e o Estado. Como o PAPA LEÃO XIII observou na "Humanum Genus" (1884), a sua encíclica monumental sobre a ameaça que representavam as sociedades maçônicas:
"Sim, esta mudança, esta subversão, é planeada deliberadamente e apresentada por muitas associações de COMUNISTAS e SOCIALISTAS; E A ESTAS MANOBRAS A SEITA DOS MAÇONS NÃO É HOSTIL, MAS, PELO CONTRÁRIO, FAVORECE MUITO OS SEUS DESÍGNIOS, E PARTILHA COM ELAS AS SUAS OPINIÕES PRINCIPAIS".
Como viemos a saber de numerosas testemunhas independentes, a INFILTRAÇÃO COMUNISTA DA IGREJA COMEÇOU CEDO, NA DÉCADA DE 1930. O próprio LÉNIN (fundador do Comunismo russo) declarou nos anos 20 que infiltraria a Igreja Católica, particularmente o Vaticano. A evidência histórica quanto a isto foi recentemente sumarizada no venerável periódico "Christian Order":
Douglas Hyde, ex-comunista e célebre convertido, revelou há muito tempo que nos anos 30 as chefias comunistas enviaram uma directiva à escala mundial sobre a infiltração da Igreja Católica. E no início da década de 50, a Sra. Bella Dodd também deu informações pormenorizadas sobre a subversão comunista da Igreja. Falando como antiga funcionária de destaque do Partido Comunista Americano, a Sra. Dodd disse: "NOS ANOS 30 PUSEMOS MIL E CEM HOMENS NO SACERDÓCIO PARA DESTRUIR A IGREJA A PARTIR DO SEU INTERIOR". A ideia era que estes homens se ordenassem e subissem até ocupar posições de influência e autoridade como Monsenhores e Bispos. Uma dúzia de anos antes do Vaticano II, ela declarou o seguinte: "NESTE MOMENTO ESTÃO NOS CARGOS MAIS ALTOS DA IGREJA" - ONDE ESTAVAM A TRABALHAR PARA CONSEGUIR MUDANÇAS QUE ENFRAQUECESSEM A EFICÁCIA DA IGREJA NA SUA LUTA CONTRA O COMUNISMO. Acrescentou que estas mudanças seriam tão drásticas que "NÃO RECONHECERÃO A IGREJA CATÓLICA".
Como sublinhou a "Christian Order", a existência de uma conspiração comunista para infiltrar a Igreja foi abundantemente confirmada, não só pelos antigos comunistas Bella Dodd [2] e Douglas Hyde, mas também por desertores soviéticos:
O antigo oficial da KGB Anatoliy Golitsyn, que desertou em 1961 e em 1984 previu com 94% de precisão todos os espantosos acontecimentos ocorridos no Bloco Comunista desde aquela altura, confirmou há vários anos que esta "PENETRAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA, ASSIM COMO DE OUTRAS IGREJAS, FAZ PARTE DA 'LINHA GERAL' (ISTO É, DA POLÍTICA IMUTÁVEL) DO PARTIDO NA LUTA ANTI-RELIGIOSA". De facto, centenas de documentos passados para o Ocidente pelo antigo arquivista da KGB Vassili Mitrokhin, e publicados em 1999, dizem o mesmo sobre o facto de a KGB CULTIVAR AS RELAÇÕES MAIS CORDIAIS COM OS CATÓLICOS "PROGRESSISTAS" E FINANCIAR AS SUAS ACTIDADES. Um dos órgãos esquerdistas identificados foi a pequena agência de imprensa católica italiana "Adista" que, ao longo de décadas, promoveu todas as causas ou "reformas" post-conciliares imagináveis, e cujo Director foi nomeado no "Arquivo Mitrokhin" como um agente assalariado da KGB [3]. 
A Sra. Dodd, que se converteu à Fé pouco antes de morrer, era assessora jurídica do Partido Comunista dos Estados Unidos. Prestou um depoimento volumoso sobre a infiltração comunista na Igreja e no Estado perante a Comissão Parlamentar de Actividades Anti-Americanas nos anos 50. Como se quisesse penitenciar-se pelo seu papel na subversão da Igreja, a Sra. Dodd fez uma série de conferências na Universidade Fordham e noutros locais durante os anos que precederam o Vaticano II. A "Christian Order" recorda o testemunho de um frade que assistiu a uma dessas conferências no início da década de 50:
Ouvi aquela mulher durante quatro horas e ela pôs-me os cabelos em pé. Tudo o que ela disse cumpriu-se à letra. Pensar-se-ia que ela era a maior profetisa do Mundo, mas ela não era profetisa. ESTAVA APENAS A EXPOR, PASSO A PASSO, O PLANO DE COMBATE DA SUBVERSÃO COMUNISTA DA IGREJA CATÓLICA. Ela explicou que, DE TODAS AS RELIGIÕES DO MUNDO, A IGREJA CATÓLICA ERA A ÚNICA TEMIDA PELOS COMUNISTAS, PORQUE ERA O SEU ÚNICO ADVERSÁRIO EFICAZ. "A IDEIA GERAL ERA DESTRUIR, [1] NÃO A IGREJA COMO INSTITUIÇÃO, MAS [2] ANTES A FÉ DO POVO, e [3] USAR MESMO A INSTITUIÇÃO DA IGREJA, SE POSSÍVEL, PARA DESTRUIR A FÉ POR MEIO DA PROMOÇÃO DE UMA PSEUDO-RELIGIÃO, QUALQUER COISA PARECIDA COM O CATOLICISMO MAS QUE NÃO ERA A AUTÊNTICA DOUTRINA". Logo que a Fé fosse destruída - explicou ela "INTRODUZIR-SE-IA NA IGREJA UM COMPLEXO DE CULPA". (...) PARA CLASSIFICAR A "IGREJA DO PASSADO" COMO OPRESSIVA, AUTORITÁRIA, CHEIA DE PRECONCEITOS, ARROGANTE AO AFIRMAR-SE COMO ÚNICA POSSUIDORA DA VERDADE, RESPONSÁVEL PELAS DIVISÕES DAS COMUNIDADES RELIGIOSAS ATRAVÉS DOS SÉCULOS. Isto seria necessário para que os responsáveis da Igreja, envergonhados, adoptassem uma "ABERTURA AO MUNDO" e UMA "ATITUDE MAIS FLEXÍVEL PARA COM TODAS AS RELIGIÕES E FILOSOFIAS". OS COMUNISTAS EXPLORARIAM ENTÃO ESTA ABERTURA PARA ENFRAQUECER INSIDIOSAMENTE A IGREJA.  


REFERÊNCIAS.

[1]. Os textos [I] e [I] foram extraídos do livro "O Derradeiro Combate do Demonio", compilado e editado pelo padre Paul Kramer. The Missionary Association: Buffalo, New York, 2003 (Edição impressa portuguesa). O texto [I] consta nas pp. 34-38 e o [II] nas pp. 43-44. Os destaques, as observações entre colchetes e as referências são minhas.  

[2]. Sobre o testemunho de Bella Dodd, leia: "A exposição do Comunismo de Bella Dodd", Henry Makow. Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/06/exposicao-do-comunismo-de-bella-dodd.html]; "School of Darkness: Escola da Escuridão", Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/10/school-of-darkness-escola-da-escuridao.html].

[3]. Dos desertores soviéticos, o depoimento de Ion Mihai Pacepa é importantíssimo. O graduado oficial do serviço de inteligência da Romênia comunista mostra como a KGB criou a Teologia da Libertação para infiltrar-se dentro da Igreja Católica e instrumentalizá-la sobretudo na América Latina. Leia: PACEPA, Ion Mihai. "A KGB criou a Teologia da Libertação" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/01/a-kgb-criou-teologia-da-libertacao.html]. Tradução do Capítulo "Liberation Theology" (15), que é parte do livro "Disinformation": former spy chief reveals secret strategis for undermining freedom, attacking religion, and promoting terrorism (WND Books: Washington, 2013); "As raízes secretas da teologia da libertação". Trad. Ricardo R. Hashimoto. Mídia Sem Máscara, 11 de Maio de 2015 [http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/15820-2015-05-11-05-32-01.html]; "A Cruzada religiosa do Kremlin". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/04/a-cruzada-religiosa-do-kremlin.html]; "Ex-espião da União Soviética: Nós criamos a Teologia da Libertação", ACIDigital, 11 de Maio de 2015 [http://www.acidigital.com/noticias/ex-espiao-da-uniao-sovietica-nos-criamos-a-teologia-da-libertacao-28919/].

ARTIGOS RECOMENDADOS.

BRAGA, Bruno. "Para além das aparências" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/03/para-alem-das-aparencias.html].

Departamento de Estado dos Estados Unidos. Washington. D.C. "Ações ativas soviéticas: The Christian Peace Conference".  Trad. Bruno Braga. [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/07/christian-peace-conference-disseminacao.html].

NORRIS, Brian. "Crítica do "Christian Peace Conference". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/07/critica-do-christian-peace-conference.html].

Sunday, May 08, 2016

E os "torturadores" comunistas? Estupro, escravidão sexual, crânio esfacelado e assassinato dos próprios filhos.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

Para os anjinhos que ficaram escandalizados com a homenagem do deputado Bolsonaro ao Coronel Brilhante Ustra - tido como "torturador" -, recomendei uma pesquisa sobre os "infiltrados", os "agentes duplos" que alcaguetavam, que "traíram" os falsos "heróis da democracia". Dei uma sugestão: que começassem pelo "informante" Luiz Inácio "O Barba" da Silva [1].

Muito bem. Proponho agora que investiguem os "torturadores" comunistas. E já indico um nome: José Dirceu - fundador do PT e do Foro de São Paulo, articulador do "Mensalão", do "Petrolão", do mega-esquema de poder criminoso que tomou de assalto o país. Leia como agia o "capitão do time" do ex-Presidente Lula - preso na Papuda - na juventude, quando era apenas um "idealista":  
[...] "O soldado da Força Pública Paulo Ribeiro Nunes e o estudante do Mackenzie João Parisi Filho, membro do CCC, descobertos enquanto se passavam por militantes do movimento estudantil, FORAM LEVADOS VENDADOS ao Conjunto Residencial da Usp, o Crusp, onde os apartamentos 109, 110 e 111 do bloco G ERAM UTILIZADOS COMO UMA 'DELEGACIA INFORMAL' DA TURMA DE DIRCEU. Lá, FORAM INTERROGADOS E MANTIDOS EM CÁRCERE PRIVADO. Nunes seria liberado no primeiro dia, pois sua situação de policial em cumprimento de ordem superior servira de atenuante. A Parisi, porém, FOI DADO TRATAMENTO DE INIMIGO DE GUERRA, segundo relado do delegado do Dops Alcides Cintra Bueno Filho, em documento de 18 de agosto de 1970:
"'POR DETERMINAÇÃO DO EX-LÍDER ESTUDANTIL JOSÉ DIRCEU DE OLIVEIRA E SILVA CONCRETIZOU-SE O SEQUESTRO do então universitário João Parisi Filho, da Universidade Mackenzie. João Parisi Filho foi levado para o Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo, ONDE PERMANECEU EM CÁRCERE PRIVADO POR VÁRIOS DIAS, SUBMETIDO A SEVÍCIAS. Nesse conjunto residencial Parisi FOI CONDUZIDO VENDADO E ALGEMADO, ONDE FOI SUBMETIDO A INTERROGATÓRIO, SOB AMEAÇA DE MORTE. A VÍTIMA PERMANECEU PRESA DURANTE DIAS, EM CONDIÇÕES DESUMANAS. Após ter passado por esses atos de atrocidade, o estudante Parisi foi conduzido de olhos vendados para a copa do quinto andar do pavilhão G, ONDE FOI TRANCAFIADO POR UMA NOITE E DOIS DIAS, permanecendo nesse local todo esse tempo DEITADO, COM AS MÃOS ALGEMADAS E PRESAS AO CANO DA PIA DAQUELA DEPENDÊNCIA. Nessa situação foi encontrado por duas empregadas que fazem a limpeza'.
"Um inquérito foi instaurado para apurar o sequestro de Parisi. Vinte testemunhas foram ouvidas, entre estudantes, funcionários da USP e policiais. TODOS CONFIRMARAM QUE A ORDEM DE MANTER O RIVAL EM CÁRCERE PRIVADO PARTIRA DE DIRCEU, QUE CHEGOU A PARTICIPAR DE SESSÕES DE INTERROGATÓRIO ÀS QUAIS PARISI FOI SUBMETIDO. Documentos inéditos arquivados no Superior Tribunal Militar revelam toda a apuração do caso".
[...]
"O Crusp, além de delegacia, servia de paiol para o movimento estudantil". [...] "Quando a polícia conseguiu invadir o local, achou no apartamento 611 UM ARSENAL de respeito: uma espingarda Winchester 44, uma espingarda Colt calibre 36, uma espingarda Boston calibre 36 de cano duplo, um rifle calibre 22, uma espingarda Browning de repetição, dois facões, uma adaga, um punhal, uma pistola Steyr 765, um revólver calibre 32, uma granada, uma caixa de balas, 350 cartuchos de calibre 22, cinco metros de estopim, dois cartuchos de pólvora, uma caixa de espoleta, dois estilingues, um morteiro, dezesseis coquetéis molotov e uma lata de querosene" [...] [2].
Para concluir. Em 1969, José Dirceu chegou a Cuba, onde tornou-se "Comandante Daniel Olaf" e recebeu treinamento de guerrilha. Seria importante levantar o envolvimento de Dirceu - e de todos os brasileiros que foram para a ilha caribenha - nas práticas do regime comunista dos irmãos Castro, que incluíam não só a tortura, mas o fuzilamento de seus adversários e oponentes no paredão.

II.

Da série "os 'torturadores' - e agora estupradores - comunistas".


A Folha de São Paulo conta a história do cartunista Laerte e de Marília, sua irmã. Laerte que aparece na imagem abaixo em uma manifestação promovida pela militância comuno-petista contra o impeachment de Dilma Rousseff - ato realizado no dia 16 de agosto de 2015, na porta do Instituto Lula, em São Paulo.


“As buscas de Laerte e Marilia começaram na política. Os dois fizeram parte do PARTIDO COMUNISTA na década de 1970 e a militância deixou marcas profundas em ambos.
"Marilia tinha 15 anos e praticava esgrima quando entrou no partido, em 1978. Chegou a ser campeã brasileira aos 14 anos, mas abandonou o esporte quando começou a levar a militância mais a sério. ‘No Partidão, achavam que aquilo era um desvio pequeno-burguês. Aí, abandonei o esporte’, diz.
"No ano seguinte, entrou para a CONVERGÊNCIA SOCIALISTA, hoje PSTU. Suas primeiras experiências sexuais aconteceram com líderes partidários das duas organizações. ‘SEXO FAZIA PARTE DA POLÍTICA’, diz. ‘EU ESTAVA DESPERTANDO PARA A SEXUALIDADE E, DE REPENTE, TINHA QUE TRANSAR PARA FAZER PARTE DO GRUPO’, conta. ‘Depois, FUI ESTUPRADA, no PSTU, na CONVERGÊNCIA. Fui expropriada de mim mesma’.
"Laerte só soube que a irmã tinha passado por problemas no partido muitos anos depois. ‘EU TAMBÉM PASSEI POR CONSTRANGIMENTOS, mas com ela foi uma coisa violentíssima’. O cartunista, hoje um bissexual assumido, diz ter bloqueado seu lado homossexual. Em uma campanha para eleições sindicais na década de 1980, chegou a desenhar um personagem da oposição como um gigante gay, usando a homofobia como arma política.
"‘Fazer parte daquele movimento foi fundamental para o meu processo criativo, mas sufoquei uma parte de mim para viver como o ‘tio Stálin’ achava certo’, diz, referindo-se ao ditador soviético Joseph Stálin (1878-1953), que perseguiu os homossexuais na União Soviética durante seu governo, dos anos 1920 até a sua morte.
"Laerte militou no Partidão entre 1973 e 1985. Largou quando percebeu ‘um movimento cultural, de quadrinhos, que era o que queria fazer’.
"Marília saiu da militância em 1981 e, no mesmo ano, recebeu o diagnóstico de PSICOSE MANÍACO-DEPRESSIVA. Chegou a tomar 11 remédios ao mesmo tempo. ENVOLVEU-SE COM DROGAS, ‘maconha, ácido, álcool, o que caía na minha’, passou por ‘desastres conjugais’ e um ‘parêntese de felicidade’: o nascimento da filha Melina, em 1989. Em 2005, TENTOU O SUICÍDIO”.
[...] (os destaques são meus).
apud. "Laerte, a irmã e o Socialismo-Comunismo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/02/laerte-irma-e-o-socialismo-comunismo.html].
III. 

As "escravas sexuais" da revolução.


Os terroristas que levantaram armas para implantar no país o totalitarismo comunista posam hoje de "heróis da democracia". Parecem seres muito "nobres" e "singelos", sobretudo quando encenam uma mitologia que tornou-se cultura popular: a luta contra os "gorilas", contra os "militares", os tais "torturadores". 

Mas, para a realização do ideal psicótico de "mundo novo", os "heróis" precisavam satisfazer algumas "necessidades revolucionárias". O depoimento é de Heitor de Paola, que conheceu desde dentro o meio comunista. Foi vice-presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes) e integrou a AP (Ação Popular), organização que abandonou quando ela fez a opção pela luta armada.   

[...] "Anos depois, ao reencontrar a esposa de um antigo 'companheiro', ela me contou que o mesmo tinha caído na clandestinidade tornando-se um REVOLUCIONÁRIO PROFISSIONAL. Ela o acompanhara até o momento em que ELE MOSTROU A ELA A 'NECESSIDADE REVOLUCIONÁRIA' DE ESTAR DISPONÍVEL PARA SATISFAZER SEXUALMENTE OUTROS MILITANTES CLANDESTINOS que não tinha como fazê-lo sem risco, fora da organização. Profundamente decepcionada ela o abandonara e voltara para sua cidade e sua família. MAS NÃO PENSEM OS LEITORES QUE ISTO É UMA EXCEÇÃO, É A REGRA!"

Cf. imagem.


in DE PAOLA, Heitor. “O Eixo do Mal Latino-americano”: e a Nova Ordem Mundial. Editora É Realizações: São Paulo, 2008. p. 26.

IV. 

Crânio esfacelado. 


Os terroristas comunistas tornaram-se arautos dos "direitos humanos". Quando o deputado Jair Bolsonaro homenageou o Coronel Brilhante Ustra - que eles, e um monte de "idiotas úteis", indiscriminadamente acusam de ter sido um "torturador" -, denunciaram o parlamentar por "crime contra a humanidade". É isso mesmo, acredite, "crime contra a humanidade"!

Mas veja como os terroristas comunistas tratavam de forma muito "humana" os seus prisioneiros. A foto é do Tenente Alberto Mendes Júnior, assassinado em 1970 pela VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) - quadrilha de Carlos Lamarca -, no Vale do Ribeira. Eis um relato do tenebroso episódio:
[...]
"A partir daí, alguns dias passaram sem que houvesse qualquer contato. Uma parte da tropa da Polícia Militar foi retirada; permanecendo, apenas, um pelotão: como voluntário para comandá-lo, apresentou-se um jovem de 23 anos, o TENENTE ALBERTO MENDES JÚNIOR. Com cinco anos na Polícia Militar, o Tenente Mendes era conhecido, entre seus companheiros, por seu espírito afável, alegre, e pelo altruísmo no cumprimento das missões. Idealista, acreditava que era seu dever permanecer na área, ao lado dos seus subordinados.
"O dia 08 de maio marcou a TENTATIVA DE FUGA DOS SETE TERRORISTAS RESTANTES. Alugaram uma picape e, no final da tarde, ao pararem num posto de gasolina, em Eldorado Paulista, foram abordados por seis policiais militares que lhes exigiam a identificação. Apesar de alegarem a condição de caçadores, não conseguiram ser convincentes. Os policiais desconfiaram e, ao tentarem sacar suas armas, foram alvejados por tiros que partiram dos terroristas que se encontravam na carroceria do veículo. Após o tiroteio, sem mortes, a picape rumou para Sete Barras.
"Ciente do ocorrido, o TENENTE MENDES organizou uma patrulha que, em duas viaturas, dirigiu-se de Sete Barras para Eldorado. Por volta das 21 horas, HOUVE O ENCONTRO COM OS TERRORISTAS. Intenso tiroteio foi travado. O Tenente Mendes, em dado momento, VERIFICOU QUE DIVERSOS DE SEUS COMANDADOS ESTAVAM FERIDOS À BALA, NECESSITANDO DE URGENTES SOCORROS MÉDICOS.
"Um dos terroristas, com um golpe astucioso, aproveitando-se daquele momento psicológico, gritou-lhe para que se entregassem. Julgando-se envolvido, O OFICIAL ACEITOU RENDER-SE, DESDE QUE SEUS HOMENS PUDESSEM RECEBER O SOCORRO NECESSÁRIO. OS DEMAIS COMPONENTES DA PATRULHA PERMANECERAM COMO REFÉNS. O Tenente levou os feridos para Sete Barras sob a intimação de suspender os bloqueios existentes na estrada. 
"DE MADRUGADA, A PÉ E SOZINHO, O TENENTE MENDES BUSCOU CONTATO COM OS TERRORISTAS, preocupado que estava com o restante de seus homens. INTERROGADO POR LAMARCA, afirmou que não havia nenhum bloqueio na direção de Sete Barras. Todos, então, seguiram para lá. Próximo a essa localidade, foram surpreendidos por um tiroteio. Dois terroristas, Edmauro Gopfert e José Araújo de Nóbrega, desgarraram-se do grupo (foram presos poucos dias depois) e OS CINCO TERRORISTAS RESTANTES EMBRENHARAM-SE NO MATO, LEVANDO O TENENTE DA POLÍCIA MILITAR. Depois de andarem um dia e meio, no início da tarde do dia 10 de maio de 1970, pararam para um descanso. O TENENTE MENDES FOI ACUSADO DE TÊ-LOS TRAÍDO, E FOI RESPONSABILIZADO PELO 'DESAPARECIMENTO' DOS SEUS COMPANHEIROS. POR ISSO, TERIA QUE SER EXECUTADO. Nesse momento, Carlos Lamarca, Yoshitane Fugimore e Diógenes Sobrosa de Souza afastaram-se; permaneceram Ariston Oliveira Lucena e Gilberto Faria Lima para tomar conta do prisioneiro.
"Poucos minutos depois, os terroristas retornaram, e, APROXIMANDO-SE POR TRAZ DO OFICIAL, DESFECHOU-LHE VIOLENTOS GOLPES NA CABEÇA, COM A CORONHA DE UM FUZIL. CAÍDO E COM A BASE DO CRÂNIO PARTIDA, O TENENTE MENDES GEMIA E CONTORCIA-SE EM DORES. DIÓGENES SOBROSA DE SOUZA LHE DESFERIU OUTROS GOLPES NA CABEÇA, ESFACELANDO-A. Ali mesmo, NUMA PEQUENA VALA E COM SEUS COTURNOS AO LADO DA CABEÇA ENSANGUENTADA, O TENENTE MENDES FOI ENTERRADO.
"Alguns meses mais tarde, em 8 de setembro de 1970, Ariston Oliveira Lucena, que havia sido preso, apontou o local onde o Tenente Mendes estava enterrado. As fotografias tiradas de seu crânio atestam o horrendo crime cometido.
"Ainda em setembro do mesmo ano, a VPR emitiu um comunicado 'Ao Povo Brasileiro', onde tenta justificar o assassinato do Tenente Mendes, no qual aparece o seguinte trecho:
"'A SENTENÇA DE MORTE de um TRIBUNAL REVOLUCIONÁRIO deve ser cumprida por FUZILAMENTO. No entanto, nos encontrávamos próximos ao inimigo, dentro de um cerco que pôde ser executado em virtude da existência de muitas estradas na região. O TENENTE MENDES FOI CONDENADO A MORRER A CORONHADAS DE FUZIL, E ASSIM FOI MORTO, sendo depois enterrado".
[...]

in ORVIL: tentativas de tomada do poder. / Agnaldo Del Nero Augusto; Licio Maciel, José Conegundes do Nascimento (organizadores). Schoba: São Paulo, 2012. pp. 44;48-49.  

V.

Pela revolução, matar os próprios filhos. 

Era uma determinação: as terroristas comunistas não podiam ficar grávidas. A gravidez faria com que elas se retirassem do combate pela ditadura do proletariado (hoje, transformado em mitologia de "luta pela democracia"). Mas, se acontecesse, elas eram obrigadas a abortar, isto é, em nome da revolução deveriam assassinar os próprios filhos. Guerrilheiras que se recusassem a abortar poderiam ser "justiçadas", mortas. 

É o que conta Eleonora Menicucci, que foi "companheira de armas" de Dilma Rousseff e atualmente é Ministra da Presidente. Na Secretaria de Políticas para as Mulheres, ela - que recebeu treinamento clandestino na Colômbia, e que acha "uma coisa muito linda" a "técnica" de sucção e dilaceramento de fetos - "luta" para implantar o aborto no país:  
[...] “nós decidimos, eu e o partido, que eu deveria fazer aborto” [...] “A luta armada aqui. E um detalhe importante nessa trajetória é que, seis meses depois de essa minha filha ter nascido, eu fiquei grávida outra vez. Aí, junto com a organização nós decidimos, a organização, nós, que eu deveria fazer aborto porque não era possível...” [3]. 
(*) Foto. Dilma e Eleonora, de terroristas comunistas a Presidente da República e Ministra.


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "Bolsonaro, Ustra: o 'torturador' e a mitologia comunista", nota III [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/04/bolsonaro-ustra-o-torturador-e.html].

[2]. Cf. CABRAL, Otávio. "Dirceu": a biografia: do movimento estudantil a Cuba, da guerrilha à clandestinidade, do PT ao poder, do palácio ao mensalão. Record: Rio de Janeiro, 2013. pp. 43-45.

[3]. Cf. "'El enfermero' abortista das FARC" [http://adf.ly/1a5OtI].

Saturday, May 07, 2016

Bibliografia. "The Jesuits", Malachi Martin.

BIBLIOGRAFIA.

THE JESUITS: The Society of Jesus and the Betrayal of the Roman Catholic Church. Malachi Martin. Simon & Schuster Paperbacks: New York, 1987.

Bruno Braga.


Livro importantíssimo para conhecer a Companhia de Jesus. A ordem fundada no século XVI por Santo Inácio de Loyola para formar os "soldados de Cristo": uma unidade de elite para lutar contra as hostes de Lúcifer, agindo como propagadores da doutrina religiosa e moral, e defensores dos direitos e prerrogativas do Papa - o líder da tropa de Deus. 

A ordem dos jesuítas, porém, se rebelou contra o Papado e iniciou uma guerra contra o Vaticano. Sob a inspiração de um "espírito do Concílio Vaticano II" pervertido, e com a escolha de Pedro Arrupe como Superior Geral, em 1965, a Companhia de Jesus abandonou o horizonte da salvação para consagrar-se a uma "nova missão". Uma missão socio-política, estabelecendo alianças com Marxistas-Comunistas, pregando a "luta de classes", o relativismo, exigindo a "democratização" da Igreja - empunhando como arma a Teologia da Libertação, uma arma que potencializou o Modernismo, a "síntese de todas as heresias", segundo São Pio X (Encíclica "Pascendi Dominici Gregis", 1907).

Companhia de Jesus. A ordem que - por trair Roma e as próprias convicções de Inácio de Loyola - foi objeto de intervenção direta de um Santo: de São João Paulo II, com o auxílio do então Cardeal Joseph Ratzinger, agora Papa Emérito Bento XVI. Por sua influência e poder, o Superior Geral da Companhia de Jesus é conhecido como "Papa Negro". Mas a ordem tem hoje um "Papa Branco": o Papa Francisco.

Malachi Martin foi membro da Companhia de Jesus e Exorcista. Foi uma das poucas pessoas que teve acesso ao Terceiro Segredo de Fátima - e dedicou o seu livro à Santíssima Virgem que se fez ver aos três pastorinhos. Ele é autor também de "The Windswept House: A Vatican Novel" [Cf. anexo].


ANEXO.

LEITURA CONCLUÍDA e RECOMENDADA.

"Windswept House": a Vatican novel.
MARTIN, Malachi. Broadway Books: New York, 2001.


Ficção, sim. Mas construída com personagens reais e fatos históricos. Escrita por quem teve acesso, leu o - ainda misterioso - terceiro segredo de Fátima. Malachi Martin (1921-1999) montou uma trama que deve ser lida por todos que estão aflitos, tentando compreender a difícil situação que vive hoje a Igreja Católica. As transformações promovidas pelo Concílio Vaticano II, o desprezo da tradição e o alinhamento com os poderes do mundo. A invasão dos inimigos - comunistas, a elite financeira e globalista, a Maçonaria e Satanistas - com a colaboração de apostatas da fé, uma legião que se instalou em todos os níveis da hierarquia. O drama do "Papa slavo" - obviamente, São João Paulo II -, que tornou-se refém dentro do próprio Vaticano, pressionado a assinar um protocolo de renúncia para que se pudesse instaurar a "nova Roma", a Roma da "Nova Ordem Mundial". Uma história angustiante e triste, mas ao mesmo tempo estimulante e encorajadora, que mostra a bravura de um pequeno grupo de resistência, fiel à única Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, incansável na tarefa de defendê-la.   

Nota publicada no Facebook em 14 de dezembro de 2015.