Wednesday, December 23, 2015

CNBB, "oficialmente" no governo comuno-petista?

Bruno Braga.
Nota publicada no Facebook.



No dia 18 de dezembro, o Chefe da Casa Civil - Jaques Wagner - visitou a sede da CNBB, em Brasília. O Ministro se encontrou com Dom Leonardo Ulrich Steiner - Secretário-Geral da Conferência dos Bispos - para fazer pessoalmente um convite: participar do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que voltará a se reunir no próximo ano (Cf. imagem) [1].


Caso aceite, a CNBB fará parte de um órgão de assessoria da Presidente Dilma Rousseff. Integrará, portanto, oficialmente o governo comuno-petista. Sim, é preciso dizer "oficialmente", porque - "paralelamente" - a Conferência dos Bispos colabora com ele há muito tempo.

A CNBB foi elemento fundamental na construção e ascensão do projeto de poder do PT e do Foro de São Paulo - sobretudo com o assalto promovido pelos "apóstolos" da Teologia da Libertação, a extrapolação de suas atribuições e o uso indevido, malicioso do nome da Igreja Católica - e está agora servindo como plataforma para defendê-lo e preservá-lo. As manifestações da CNBB contra o impeachment da Presidente Dilma são um escândalo [2]. Não apenas pela questão política. É a Conferência dos Bispos colaborando - mais uma vez [3] - com um esquema de poder criminoso, que contraria integralmente os princípios, a fé cristã.



REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. Casa Civil, 18 de dezembro de 2015 [http://casacivil.gov.br/central-de-conteudos/noticias/2015/dezembro/wagner-convida-a-cnbb-a-reativar-o-conselho-de-desenvolvimento-economico-e-social-cdes].

[2]. Cf. "CNBB: na defesa da 'Patria Grande' comunista" [https://www.facebook.com/blogbbraga/posts/557653117716638]; "Conselho de seitas defende Dilma" [https://www.facebook.com/blogbbraga/photos/a.190586071090013.1073741828.184797238335563/559271514221465/?type=3&theater]; "Pastoral da Juventude protesta contra 'golpe'" [https://www.facebook.com/blogbbraga/photos/a.190586071090013.1073741828.184797238335563/561934847288465/?type=3&theater].

[3]. Uma iniciativa recente não pode cair no esquecimento: a proposta de reforma política encabeçada pela CNBB que, de forma camuflada, apliava e fortalecia o totalitarismo comuno-petista. Cf. "De mãos dadas pela reforma política comuno-petista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/02/de-maos-dadas-pela-reforma-politica.html].

Sunday, December 20, 2015

Do teatro contra o impeachment ao dinheiro público que corrompe a inteligência, o coração e a fé.

Bruno Braga.


Em um post no Facebook, tomei uma publicação do site "Brasil 247" para tratar dos "artistas" e "intelectuais" que - sob a "liderança" de Leonardo, Genézio Boff - armaram no Palácio do Planalto um teatro contra o impeachment da Presidente Dilma. Observei ali que o site petista fora denunciado na Operação Lava-jato por ter recebido dinheiro do "Petrolão" - e deixei uma perguntinha: "quantos entre os tais 'artistas' e 'intelectuais' receberam - ou recebem - patrocínio da Petrobrás?" (Cf. anexo) [1].

Como são as coisas... - veja a imagem I - o próprio guru da patota é financiado pela empresa estatal! A Petrobrás e o Governo Federal - note, a "Pátria Educadora" comuno-petista - patrocinam o "Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis" (CDDH) [2], que tem como fundador e presidente, advinhe, o senhor Genézio Boff [3] (Cf. imagem II).


I.




II.



O apoio da Petrobrás ainda aparece no projeto "ArticulAção" [4], apresentado em tom de aparente legitimidade: prestar assistência social e educacional a crianças e jovens da periferia [5]. No entanto, qualquer um que passe os olhos no site do CDDH é capaz de identificar o seu verdadeiro propósito: conduzir os assistidos à colaboração militante através de determinadas "causas". A imagem em que uma bandeira do MST - do grupo de guerrilha do PT e do Foro de São Paulo - aparece estendida sobre a mesa de uma suposta reunião de estudos não foi colocada por acaso na capa do portal (Cf. imagem).


Se a constatação acima parece demais absurda e "conspiratória", basta acessar no site do CDDH a sua "Missão e Valores". Para exemplificar:

"f) Buscar PROMOVER A UNIDADE DE AÇÃO, entre os diversos movimentos comunitários locais, bem assim o FORTALECIMENTO dos MODOS de MANIFESTAÇÃO e ORGANIZAÇÃO populares, DANDO para tanto, seu RESPALDO e SUBSÍDIO" [6].

Muito bem. O senhor Genézio Boff já tentou se defender das acusações de que o CDDH "teria sido de forma corrupta beneficiado pelo governo federal  do PT" [7]. Ora, não é preciso entrar no mérito da origem ilícita, ou mesmo da sigla partidária do bem-feitor; fato é que o dinheiro está sendo empregado em atividades corruptoras. Não é aplicado para educar, mas para corromper a inteligência e o coração de crianças, jovens e adolescentes: instruí-los na ideologia da "luta de classes", maquiada com o selo de "direitos humanos" e até camuflada com o verde da defesa do "meio ambiente". O patrocínio da Petrobrás e do Governo Federal ainda é utilizado - uma vez que Genézio Boff é um dos mais ativos e influentes "apóstolos" da Teologia da Libertação - para corromper a fé cristã e assaltar sobretudo a Igreja Católica, instrumentalizando-as de forma sorrateira para a promoção do esquema de poder comuno-petista.


ANEXO.

Leonardo, ou melhor, Genézio Boff é um guru para certa "classe" de "artistas" e "intelectuais". E foi sob a "liderança" do "apóstolo" da Teologia da Libertação que eles montaram um teatrinho intitulado "manifesto em defesa da democracia e da legalidade". Uma encenação para dar apoio à Presidente Dilma Rousseff. 

 
O espetáculo grotesco aconteceu na quinta-feira, 17 de novembro, no Palácio do Planalto, e contou com a participação de sindicatos, entidades de classe, do movimento estudantil e até do grupo de guerrilha dos sem-terra. Os mesmos comunistas - subordinados ao PT e ao Foro de São Paulo - que no dia anterior foram às ruas vestidos de vermelho contra o impeachment da mandatária petista.

É importante verificar os nomes, identificar os militantes e "companheiros de viagem" que representaram o papel de "artista" e de "intelectual" com o objetivo de preservar um projeto de poder totalitário e criminoso - o projeto que os patrocina e sustenta com recursos públicos. 

As imagens e informações são do site "Brasil 247", site petista mantido com dinheiro do Petrolão e denunciado na operação Lava-jato. A propósito, quantos entre os tais "artistas" e "intelectuais" receberam - ou recebem - patrocínio da Petrobrás?


REFERÊNCIAS.





[5]. Idem.


Friday, December 11, 2015

China-CELAC: conciliábulo comunista em Pequim.

Bruno Braga.



A Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) está associada ao Foro de São Paulo, e com ele trabalha para a promoção de um projeto político comum: a transformação da América Latina na imensa "Patria Grande" comunista [1]. 

Por fidelidade a tal objetivo, os partidos ligados à CELAC se reuniram em Pequim, nos dias 08 e 09 de dezembro, para o "I Encuentro del Foro de Partidos Políticos China-CELAC" (Cf. imagem). O PT participou do evento, que definiu, entre outras questões, um intercâmbio com o Partido Comunista Chinês para quadros de formação política [2]. 

Wei Chang, diretor geral para a América Latina do Departamento Internacional do Comitê Central do PC chinês, explicou a importância do encontro e como ele irá influenciar os seus aliados - inclusive o partido que governa o Brasil: 

"Pela primeira vez trocaremos experiências no que se refere à CONDUÇÃO POLÍTICA e sua ADMINISTRAÇÃO, à GESTÃO DO ESTADO e, claro, de NOSSOS PARTIDOS POLÍTICOS, o que aprofundará a RELAÇÃO entre os GOVERNOS e os povos" [3].

A relação do Partido Comunista Chinês com os partidos que compõem o esquema de poder comunista na América Latina não começou com o "Foro de Partidos Políticos". É preciso recordar a sua participação efetiva - em oportunidade recente - do último encontro do Foro de São Paulo, realizado entre os dias 29 de julho e 01 de agosto deste ano, no México [4].


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "Foro de São Paulo: confabulação comunista no México" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-confabulacao.html]; "Raúl Castro dá ao Papa uma "calurosa bienvenida" comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html].

[2]. Cf. "Foro integra a partidos políticos de China y Celac", El Telégrafo, 09 de dezembro de 2015 [http://www.eltelegrafo.com.ec/politica/item/foro-integra-a-partidos-politicos-de-china-y-celac.html]; "Primer Foro de Partidos Políticos China-Celac aprueba declaración", Prensa Latina, 09 de dezembro de 2015 [http://prensa-latina.cu/index.php?option=com_content&task=view&idioma=1&id=4419751&Itemid=1].

[3]. Cf. "China y Celac por una mejor conducción política de sus vínculos", Prensa Latina, 08 de dezembro de 2015 [http://prensa-latina.cu/index.php?option=com_content&task=view&idioma=1&id=4416951&Itemid=1].

[4]. Cf. "Foro de São Paulo: confabulação comunista no México", III [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-confabulacao.html].

Friday, December 04, 2015

RECID: "educação cidadã" e ideologização comuno-petista.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

Roda de macumba? Não. Acredite, as imagens abaixo são do XIII Encontro Nacional da Rede de Educação Cidadã (RECID), que aconteceu há poucos dias, entre 26 e 28 de novembro.


Um amontoado de grupos comuno-petistas - MST, CUT, Levante Popular da Juventude, Marcha Mundial das Mulheres, etc. - se reuniu em um hotel de luxo de Brasília - coitadinhos, "pobres", "excluídos" e "marginalizados"... - para tratar da "Participação Social e Educação Popular na Pátria Educadora".

O RECID nasceu com a "benção" de Betto, o "apóstolo" da Teologia da Libertação que, fantasiado de "frei", parasita a Igreja Católica para promover o projeto de poder comuno-petista. Betto - uma espécie de "coroinha" do ditador cubano Fidel Castro - é co-fundador do Foro de São Paulo. Aliás, o encontro do RECID em destaque teve a participação de Renato Simões, agente da organização comunista e que atualmente ocupa a Secretaria Nacional de Participação Social da Secretaria Geral da Presidência da República.

Estes são os professores, pedagogos, os movimentos ditos "sociais" encarregados da tal "educação cidadã", que não passa de mais um slogan criado para maquiar a ideologização - com o dinheiro do contribuinte - promovida pela "Pátria Educadora" comuno-petista.


II.

Na "Pátria Educadora" proclamada pela Presidente Dilma Rousseff, a RECID (Rede de Educação Cidadã) é mais um esquema para promover - com dinheiro público - a ideologização comuno-petista nas escolas e nos ambientes de ensino e aprendizagem.

Não. Não é invencionice nem "teoria da conspiração". Quem afirma o nefasto objetivo é o próprio idealizador da RECID: Betto. O "apóstolo" da Teologia da Libertação, que parasita a Igreja Católica fingindo-se de "frei", o agente do Foro de São Paulo - organização fundada por Lula e por Fidel Castro para transformar a América Latina na "Patria Grande" comunista - explica em termos com notória influência da estratégia revolucionária gramsciana:

"Qual é a missão da RECID? [...] "A proposta da RECID é a SUBJETIVIDADE humana, é o CORAÇÃO e a CONSCIÊNCIA das pessoas. É justamente isso. A proposta da RECID é POLITIZAR, ORGANIZAR e MOBILIZAR as pessoas".

Assista ao vídeo [1].


REFERÊNCIAS.

[1] Discurso por ocasião do XII Encontro nacional da Rede de Educação Cidadão (RECID), que aconteceu entre os dias 04 e 08 de Dezembro de 2014, na cidade de Luziânia (GO).

LEITURA RECOMENDADA.

BRAGA, Bruno. "A 'pedagogia' do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/04/a-pedagogia-do-foro-de-sao-paulo.html].

Friday, November 27, 2015

A oradora anticorrupção do PT - e do Foro de São Paulo.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.


No início do mês, o site da revista Veja ironizou a participação de Mônica Valente em um evento para "discutir políticas de combate à corrupção e ampliação de mecanismos de transparência" (Cf. imagem) [1]. A ironia não era apenas pela participação da petista em um evento dito "anticorrupção" - uma integrante do partido que montou o maior esquema de corrupção da história do país: o mensalão - mas porque ela é mulher de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT e um dos principais operadores do esquema [2].

A Veja, no entanto, omitiu uma informação importante. Sim, omitiu, pois é impossível que não soubesse que, além de Secretária de Relações Internacionais do PT, Mônica Valente é Secretária-Executiva do Foro de São Paulo - da organização fundada por Lula e por Fidel Castro para transformar a América Latina na "Patria Grande" comunista (Cf. imagem: Mônica Valente apresenta a mensagem que o ex-Presidente Luiz Inácio enviou ao XXI Encontro do Foro de São Paulo, realizado no México entre os dias 29 de Julho e 01 de Agosto de 2015 [3]).

O mensalão não foi somente um "esquema de corrupção". Foi um golpe para subordinar o poder legislativo às determinações do poder executivo - que está nas mãos do PT. Um esquema que é engrenagem de outro ainda maior: o projeto do Foro de São Paulo [4].

Mônica Valente participou do tal evento "anticorrupção" promovido por - ora, ora - "partidos de esquerda ligados à Coordenação SOCIALISTA Latino-americana (CSL)". E a própria petista inicou o seu discurso com uma saudação especial: [...] "un cálido abrazo a los representantes de los partidos de nuestro continente latinoamericano que comprenden la Coordinadora Socialista, MUCHOS DE LOS CUALES TAMBIÉN MIEMBRO DEL FORO DE SÃO PAULO" [5]. Discurso citado pela Veja, e que acaba tornando ainda mais vergonhosa a omissão da organização comunista na nota irônica publicada em seu site.

É preciso destacar que a imprensa colaborou com a ascensão do Foro de São Paulo - se não pelo ocultamento de anos, com uma cobertura discreta, possibilitando o crescimento sem resistência de um projeto de poder criminoso que pintou de vermelho quase todo o mapa da América Latina.


II.

A oradora anticorrupção do PT - e do Foro de São Paulo (II).


Dias atrás, observei como a Veja, em uma nota irônica sobre a participação da petista Mônica Valente em um evento anticorrupção, omitiu que a mulher de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT e um dos principais operadores do mensalão, é Secretária-Executiva do Foro de São Paulo - da organização fundada por Lula e por Fidel Castro para transformar a América Latina na "Patria Grande" comunista [6]. Uma omissão vergonhosa, e que pode ser ainda mais vexatória.

O tal evento "anticorrupção" aconteceu no Rio de Janeiro, promovido pela "Coordinación Socialista Latinoamericana" (CSL). Nesta oportunidade, a organização lançou o seu blog oficial [7], que na seção "Historia" assume expressamente: "Coordinadora Socialista Latinoamericana INTERACTÚA FREQUENTEMENTE CON EL FORO DE SAO PAULO y con COPPPAL" (Cf. imagem) [8].

A associação entre a CSL e o Foro de São Paulo pode ser identificada na seção do blog com o título "Conferencias". Ela traz registros de reuniões conjuntas e simultâneas entre as duas organizações. Foi assim, por exemplo, em Manágua, em 2000, e em Cuba, no ano de 2001: "Con ocasión del X Encuentro del Foro de Sao Paulo, reunido en la ciudad de La Havana del 4 al 7 de diciembre de 2001, se reunió también la Coordinación Socialista Latinoamericana" [9].

A CSL já teve como presidente o petista Marco Aurélio Garcia [10] - um dos principais articuladores do Foro de São Paulo [11], atualmente Assessor Especial da Presidente Dilma Rousseff para Assuntos Internacionais. Hoje, o Secretário Geral da "Coordinación Socialista" é o deputado federal Beto Albuquerque, do PSB (Partido Socialista Brasileiro) - partido que pertence ao Foro de São Paulo.

É importante anotar alguns dos "frequentadores" das reuniões da CSL: Partido Comunista da União Soviética; grupos ligados à guerrilha, como a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN-Nicarágua) e a Frente Farabundo Marti de Libertação Nacional (FMLN-El Salvador); OLP (Organização para a Libertação da Palestina), grupo terrorista islâmico que foi comandado pelo falecido Yasser Arafat, agente criado e treinado pela KGB [12]; e até o Baas do Iraque (Baath, Ba'th) [13].


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "A oradora anticorrupção do PT". Veja, 05 de Novembro de 2015 [http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/a-oradora-anticorrupcao-do-pt].

[2]. Idem.

[3]. Cf. "Foro de São Paulo: confabulação comunista no México" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-confabulacao.html].








[11]. Cf. "Foro de São Paulo: a gênese criminosa da 'Patria Grande" comunista", IV, V [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-genese-criminosa-da.html].

[12]. Cf. "Foro de São Paulo: confabulação comunista no México". Adendo VI, referência [1] [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-confabulacao.html].


Wednesday, November 11, 2015

A fé e a razão do católico.

Bruno Braga.



Espalhou-se por todos os cantos: fé e razão não se misturam. Esta idéia é repetida em discussões públicas e acadêmicas, no trabalho, em conversas informais e até mesmo em casa. O problema é quando ela toma ares de verdade dentro da igreja. Se fé e razão são realmente incompatíveis, a fé pode se tornar uma espécie de "sentimentalismo", um apêgo cego a qualquer coisa que dê à pessoa conforto e bem-estar, corre o risco de se transformar em mitologia ou ser reduzida a uma simples superstição. Para o católico, no entanto, não é assim.

Reza o Catecismo: "A santa Igreja, nossa mãe, sustenta e ensina que Deus, princípio e fim de todas as coisas, pode ser conhecido com certeza pela luz natural da razão humana a partir das coisas criadas" (CIC, 36). Sim. O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gen. 1, 26-27). Por graça, ele recebeu uma faculdade que - não é a onisciência divina - mas reflete algo da inteligência do seu Criador, uma faculdade que o distingue de todos os outros seres: a razão. Deus, que assim fez o homem, o chama para amá-Lo, mas também para "conhecê-Lo" (CIC, 31).

Ora, não é possível amar o que não se conhece. Sem a razão, o homem não poderia sequer acolher a fé. Os animais - que não possuem aquela faculdade - não têm nenhum traço de religiosidade. Com a razão, o homem não só acolhe a fé, mas busca as vias para aceder ao conhecimento de Deus com argumentos "convergentes" e "convincentes", capazes de estabelecer "verdadeiras certezas" (Idem). Ele tenta alcançar Deus nas meditações sobre o "movimento", nas questões sobre a ordem e a beleza, sobre o princípio e o fim do mundo (CIC, 32). Identifica em si mesmo uma abertura para o belo e para a verdade, um sentido para o bem moral, reconhece a sua própria liberdade e uma aspiração ao infinito e à felicidade (CIC, 33). Por estas "vias", "o homem pode aceder ao conhecimento da existência de uma realidade que é a causa primeira e o fim último de tudo, 'e que todos chamam Deus'" (CIC, 34).

É verdade, a fé não é puro racionalismo. Não. Os sentidos, a imaginação e as más inclinações podem colocar dificuldades e obstáculos à razão, ela mesma uma faculdade bastante limitada. Não é capaz de gerar a fé, uma graça de Deus. Há uma ordem de conhecimento que o homem jamais pode atingir com as suas próprias forças - com a razão natural: a Revelação divina. Mas, quando o próprio Deus se revelou - em Jesus -, disse que para segui-Lo seria necessário a cada um tomar a sua cruz (Lc. 9, 23). Ele não pediu para ninguém abandonar a sua cabeça. E quando Cristo afirmou ser Ele mesmo o "Caminho", também se apresentou como a "Verdade" e a "Vida", mostrando, assim, que razão e fé estão intimamente associadas. São João Paulo II ilustrou essa associação com uma bela imagem: "a fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade. Foi Deus quem colocou no coração do homem o desejo de conhecer a verdade e, em última análise, de O conhecer a Ele, para que, conhecendo-O e amando-O, possa chegar também à verdade plena sobre si próprio" (Encíclica "Fides et ratio").

Portanto, o católico deve estar preparado contra as armadilhas do chavão e do clichê. Fé e razão misturam-se sim. Se essa posição significa contestar uma idéia que se popularizou, não há o que temer. Não é preciso se intimidar com acusações de acadêmicos ou se constranger com qualquer um que pronuncie a palavra "ciência". Não há motivo para aceitar a mordaça dos que tentam afastá-lo - simplesmente por ser religioso - das discussões públicas e políticas. Porque o católico não renuncia a sua inteligência. E nem poderia abandoná-la, pois já que recebeu a razão como um dom de Deus, ele tem um compromisso ainda mais sério com a Verdade.


(*) Publicado no jornal "Correio da Serra", ed. 850. Barbacena, 07 de Novembro de 2015.

Sunday, November 08, 2015

Imprensa militante: o sacrifício da informação em prol do gayzismo e do aborto.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

Imprensa militante: o sacrifício da informação em prol do gayzismo.


Ontem, 04 de Novembro, o jornal mineiro "O Tempo" noticiou a aprovação, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, do parecer favorável à PEC 99-2011. Trata-se da possibilidade de associações religiosas proporem no Supremo Tribunal Federal (STF) a constitucionalidade ou questionarem a inconstitucionalidade de leis ou atos normativos [1].

Não é o caso de examinar aqui o mérito da proposta. No momento interessa somente o trecho da reportagem que cita o parecer do relator, o deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG): "No texto aprovado, o relator aponta a existência de preconceito do Poder Judiciário contra religiosos. 'O STF expressa um preconceito contra argumentos de ordem religiosa, dando preferência a argumentos científicos", cita o texto apresentado pelo relator'" [2].

Ora, o curioso que procurar no parecer aprovado na sessão de ontem não encontrará o trecho citado. Basta ler o documento no portal da Câmara dos Deputados [3]. O trecho é parte de outro parecer, datado de 28 de Outubro, e não é uma afirmação do relator. Não. Ele aparece no relatório, no resumo que o deputado Bonifácio Andrada fez das apresentações de todos os participantes de uma audiência pública, e refere-se a uma consideração do Ministro Ives Gandra Filho, Vice-Presidente do Tribunal Superior do Trabalho [4].

Na imagem abaixo, o texto destacado em vermelho deixa claro que a citação da reportagem não é um juízo do relator da PEC 99-2011 (Cf. [I]). E, nos pareceres mencionados, não há nenhuma formulação do tipo para fundamentar a conclusão favorável à proposta. Mas, suspeito que o autor da matéria sabia muito bem o efeito que poderia causar no leitor com a oposição entre "argumentos de ordem religiosa" e "argumentos científicos" - ainda mais atribuindo a formulação ao responsável pelo parecer aprovado.


Não sou cabo eleitoral do deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG). Não tenho procuração - nem interesse - para atuar em sua defesa. Quem tiver algum motivo para questioná-lo, que o faça. Ele está aqui apenas como parte de mais uma reportagem que mostra a atuação militante da imprensa, comprometida com a salvaguarda de certas bandeiras. No caso em tela, fica claro qual é logo na chamada, que se refere ao autor da PEC 99-2011 como "o mesmo que apresentou a proposta da "cura gay" na Câmara" [5]. Mais uma fraude. O Projeto de Decreto Legislativo 234-11 nunca tratou de "cura". Ele simplesmente concedia aos psicólogos a possibilidade de oferecer orientação aos homossexuais que - de forma livre e decidida - procurassem auxílio profissional [6].

Para contestar a proposta em tela, a reportagem recorre - sem maiores explicações - a um chavão que é repetido por todos os cantos: diz que ela é uma "afronta" ao "Estado Laico". Tenta associá-la ainda à carga negativa da figura do Presidente da Câmara - Eduardo Cunha - como uma proposta dos seus "aliados". Enfim, vale tudo, até referir-se uma "Igreja" com "i" maiúsculo no título. É o sacrifício da informação e do dever da "honestidade intelectual" em prol da militância. Desmoralizar os "religiosos" - para calá-los - e proteger o gayzismo.


II.

Imprensa militante: a defesa do aborto.


No dia 03 de Novembro, o "Estado de Minas" publicou em sua edição impressa uma matéria de capa sobre as "mulheres": "Elas vão à luta". O jornal mineiro, entre outras ocorrências, citou a realização de manifestações organizadas em algumas capitais do país: [...] "foi a vez de MILHARES de mulheres reagirem nas ruas contra projeto do Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que dificulta o aborto para vítimas de estupro" (Cf. imagem - o destaque em vermelho é meu).


Ora, "MILHARES"? Com uma busca no próprio site do jornal, é possível verificar que, no ato em Belo Horizonte, - tomando a foto mais favorável às manifestantes - havia meia dúzia de gatos pingados na Praça da Liberdade (Cf. imagem [I]) [7]. No Rio de Janeiro, o "Estado de Minas" noticiou a presença de "cerca de 500 mulheres" [8]. E em São Paulo, onde havia mais gente - porém, mais em uma manifestação política contra Eduardo Cunha que pela "causa" supostamente das "mulheres" - a PM registrou a participação de 3.000 pessoas [9]. Então, como falar em "MILHARES"?

Agora, eram "MULHERES"? Em protestos organizados por grupos comuno-feministas, lésbicas frequentemente levantam cartazes e bandeiras, arrogam-se legítimas representantes das "mulheres". Na foto que o "Estado de Minas" utiliza como referência ao protesto em São Paulo está a participação da "UJS" - "União da Juventude Socialista", braço do PCdoB (Partido Comunista do Brasil) (Cf imagem - o destaque em vermelho é meu). E a "professora" ouvida pelo jornal mineiro - Sara Azevedo - é presidente do PSOL em Minas Gerais. No ano passado, ela promoveu sua candidatura à Câmara Federal ladeada por dois abortistas - Luciana Genro e Jean Wyllys. Sara Azevedo apresentava-se: "Sou militante SOCIALISTA, FEMINISTA e LGBT" [...] - e, claro, entre as suas "propostas" para as "mulheres" estava a "legalização do aborto" (Cf. imagem - os destaques em vermelho são meus) [10].

Bom, com o anúncio de "MILHARES" onde não havia tantas "mulheres" assim, a imprensa cumpriu, nos eventos recentes, o seu papel na militância, na defesa de mais uma de suas bandeiras: além do gayzismo [11], o ABORTO - o ASSASSINATO DE CRIANÇAS INOCENTES.


III.

Pelo "direito" de ASSASSINAR CRIANÇAS INOCENTES, ABORTISTAS vandalizam Catedral da Sé (SP).


. Crime cometido no dia 30 de Outubro, em ato contra o PL. 5069-2013.

ANEXO.

Nota publicada no Facebook em 21 de Junho de 2015.

A "vadiagem" na imprensa mineira.
Bruno Braga.



A Marcha das Vadias reivindicou neste sábado a LEGALIZAÇÃO DO ABORTO. O grupo de feministas percorreu as ruas de Belo Horizonte pelo "direito" de ASSASSINAR CRIANÇAS INDEFESAS.

O jornal "O Tempo" noticiou: "CENTENAS de pessoas participaram da marcha" (Cf. imagem I). No entanto, nem mesmo as fotos mais generosas publicadas no site do jornal, ou aquelas tiradas de ângulos bem especiais para simularem a presença de uma "multidão", mostram as "CENTENAS" de pessoas unidas com as "vadias" pela mórbida "causa" de MATAR BEBÊS (Cf. [http://www.otempo.com.br/cidades/marcha-das-vadias-pede-legaliza%C3%A7%C3%A3o-do-aborto-em-ato-nas-ruas-de-bh-1.1057721]).

O "Estado de Minas" apontou que "mais de UMA CENTENA de pessoas" participaram da Marcha das Vadias (Cf. imagem II - [http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/06/20/interna_gerais,660330/marcha-das-vadias-pede-legalizacao-do-aborto-em-ato-em-bh.shtml]). Entre "CENTENAS" do jornal "O Tempo" e "mais de UMA CENTENA" do "Estado de Minas" há uma diferença significativa, e, no mínimo, uma dissonância grave entre os dois jornais mineiros na cobertura do mesmo evento.

Certo é que, tanto o jornal "O Tempo" quanto o "Estado de Minas", trataram a reivindicação do ABORTO como um protesto legítimo - no máximo, "polêmico" -, como se ASSASSINAR CRIANÇAS INOCENTES e INDEFESAS fosse uma coisa muito "normal". Pior, nenhum dos dois jornais noticiou a batucada e a gritaria das "vadias" em frente a um templo evangélico (Cf. imagem III). Fato que poderia ser caracterizado não só como uma simples "provocação", mas poderia confirmar a hipótese de um crime: "Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo" - Art. 208, Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso".

Leitura recomendada.
BRAGA, Bruno. "'Vadias' vão marchar em BH pelo 'direito' de ASSASSINAR CRIANÇAS indefesas" [https://www.facebook.com/blogbbraga/posts/497040257111258].


REFERÊNCIAS.

[1]. "Bancada evangélica aprova PEC que dá à Igreja poder de questionar STF", 04 de Novembro de 2015 [http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/bancada-evang%C3%A9lica-aprova-pec-que-d%C3%A1-%C3%A0-igreja-poder-de-questionar-stf-1.1158776] (Reprodução de reportagem do portal "iG Brasília").

[2]. Idem.



[5]. Cf. [1].






[11]. Cf. "Imprensa militante: o sacrifício da informação em prol do gayzismo" [https://www.facebook.com/blogbbraga/photos/a.190586071090013.1073741828.184797238335563/549447915203825/?type=3&theater].

Monday, October 26, 2015

A "ideologia de gênero" no ENEM.

Bruno Braga.



Todo professor sabe que não pode cobrar em prova uma matéria que não deu em sala de aula. Para o governo comuno-petista, a moral é outra. No Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) deste ano - realizado no último fim de semana - a questão 05 da prova de Ciências Humanas levantou a bandeira da "ideologia de gênero" e exigiu dos alunos conhecimento sobre o assunto (Cf. imagem abaixo).


Mas, o caso não é apenas de matéria não dada em sala de aula. É mais grave. Trata-se de matéria vedada nas escolas. No ano passado, o Congresso Nacional impediu a inclusão da "ideologia de gênero" - por conta de suas teses absurdas e disparatadas - do Plano Nacional de Educação (PNE). Inconformado, o governo comuno-petista resolveu desacatar. Inseriu a matéria no Documento Final do CONAE-2014 (Conferência Nacional de Educação) - ato que foi objeto de denúncia na Câmara dos Deputados [1]. E mais. Para fugir dos holofotes da política e dos debates nacionais, lançou mão da estratégia ardilosa de tentar nas sombras incluir a "ideologia de gênero" nos planos estaduais e municipais de educação. Estratégia traiçoeira e ilícita que levou o cidadão comum à Assembleia Legislativa do seu estado, à Câmara de Vereadores de sua cidade para afastar - na maioria esmagadora dos casos, com sucesso heroico - o nefasto projeto de engenharia social e comportamental comuno-feminista-gayzista das escolas.

A questão do ENEM é uma afirmação do governo: vai impor a "ideologia de gênero" de qualquer forma, nem que seja necessário passar por cima do Congresso Nacional, pisar as leis e cuspir na vontade da própria população. Na "Pátria Educadora" comuno-petista a moral é outra: prevalecem os princípios dos delinquentes que a proclamaram. 


***


"Ninguém nasce mulher: torna-se mulher". Em vez de iniciar uma discussão sobre a tese exposta na prova do ENEM - basta o seu absurdo auto-evidente -, é importante colocar alguns dados biográficos da sua proponente: Simone de Beauvoir (1908-1986). Eles podem ser úteis até para contestar as teses da feminista louvada no exame comuno-petista, uma vez que ela fazia parte de um círculo intelectual que pregava a prioridade da "existência" sobre a "essência".



[...] "ela não possuía nenhuma das fraquezas de Sartre, EXCETO O HÁBITO DE MENTIR.

"Apesar disso tudo, essa mulher brilhante e de espírito vigoroso tornou-se uma SERVA de Sartre desde quase o primeiro encontro deles E CONTINUOU ASSIM POR TODA A SUA VIDA ADULTA ATÉ MORRER. Ela serviu a ele como amante, esposa substituta, cozinheira e administradora, guarda-costas feminina e enfermeira, sem ter obtido nenhum outro 'status' legal ou financeiro em sua vida. Em linhas gerais, Sartre não a tratava melhor do que Rousseau em relação a Thérèse; tratava-a pior, porque ele era flagrantemente infiel. NOS ANAIS DA LITERATURA, EXISTEM POUCOS CASOS PIORES DE UM HOMEM QUE EXPLORA SUA ESPOSA. ISSO É AINDA MAIS SURPREENDENTE PORQUE SIMONE DE BEAUVOIR FOI UMA FEMINISTA DURANTE TODA A SUA VIDA. Em 1949, ela descreveu o primeiro manifesto moderno do feminismo, 'O segundo sexo', que vendeu bastante pelo mundo afora. As palavras que abrem o livro, 'On ne nait pas femme, on la devient' ('Não se nasce mulher, torna-se mulher'), são uma citação consciente da abertura do 'Contrato social' de Rousseau. BEAUVOIR, NA VERDADE, FOI A PROGENITORA DO MOVIMENTO FEMINISTA E DEVE, POR DIREITO, SER SEU SANTO PATRONO. PORÉM, EM SUA PRÓPRIA VIDA ELA NÃO FEZ JUS A TUDO O QUE ISSO REPRESENTA.

[...]

"Porém, como Beauvoir ensinava a alunas muito mais adequadas, ERA ENTRE AS ALUNAS DELA QUE ELE [Sartre] ESCOLHIA A MAIOR PARTE DE SUAS VÍTIMAS; na verdade, BEAUVOIR PARECE TER ACEITADO, NESSA ÉPOCA, O PAPEL DE CAFETINA. Ela também, em seu confuso desejo de não ser excluída do amor, criou seus próprios relacionamentos íntimos com as garotas. Um deles foi com Nathaline Sorokine, filha de exilados russos e a melhor aluna de Beauvoir no Lycée Molière, em Passy, onde lecionou durante a guerra. Em 1943, os pais de Nathaline fizeram ACUSAÇÕES FORMAIS CONTRA BEAUVOIR POR TER RAPTADO UMA MENOR, UMA SÉRIA TRANSGRESSÃO CRIMINAL QUE PODIA ACARRETAR UMA SENTENÇA DE PRISÃO. Amigos dos dois intervieram e eles por fim desistiram da acausação criminal. MAS BEAUVOIR FOI EXPULSA DA UNIVERSIDADE E TEVE A LICENÇA, QUE LHE PERMITIA DAR AULAS EM QUALQUER PARTE DA FRANÇA, CASSADA PELO RESTO DA VIDA".

In JOHNSON, Paul. "Os Intelectuais". Imago: Rio de Janeiro, 1990. pp. 258; 261.

Sobre o a militância de Simone de Beauvoir em prol da PEDOFILIA, leia: VÂLSAN, Lucian. "Simone de Beauvoir: Nazista, pedófila, misândrica e misógina" [http://www.vistadireita.com.br/blog/simone-de-beauvoir-nazista-pedofila-misandrica-e-misogina/].

No vídeo abaixo, Simone de Beauvoir - na companhia de seu amante, Jean-Paul Sartre, e de outros "intelectuais" - é recebida na União Soviética. Feminista prestigia o regime comunista, que transformava mulheres em escravas sexuais dos membros da "nomenklatura", que exterminava milhares delas nos Gulags.



REFERÊNCIAS.

Monday, October 12, 2015

O petista e a "saída" para a crise política.

Bruno Braga.
[Comentário]
 
 
 
Diante de tantos escândalos, só mesmo um petista de carteirinha para se prestar ao papelão de defender a quadrilha que tomou de assalto o país. Mas, será que, mesmo assim, a cara não queima? Não, se o petista for Dimas Enéas. O bravo caradura se propõe, não só a proteger os seus cupinxas, mas a analisar uma "saída" para a "crise política" gerada pelos seus próprios correligionários.
 
O interessado pode ler o artigo de Dimas Enéas no site pro-PT "Barbacena Mais" [1]. Como esclarece a nota final, o texto foi redigido a partir de um debate que ocorreu na UFMG. Na Universidade que ultimamente tem se destacado nas páginas dos jornais como "boca de fumo", local para a venda de abortivos, para a promoção de protesto pelado de "revolucionários" LGBT-gayzistas e realização de uma tal "Oficina de Siririca" [2]. O curioso é que tudo isso - que deixa espantado qualquer um com o mínimo de bom senso - faz parte da agenda do partido do senhor Dimas Enéas: ABORTO - ASSASSINATO DE CRIANÇAS INOCENTES -, LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS e IDEOLOGIA DE GÊNERO na educação de crianças e jovens. Bom, se as ocorrências escabrosas não são capazes de quebrar no imaginário das pessoas o mito da Universidade como "Templo do Saber" - sobretudo o das "federais" -, poderiam pelo menos fazê-las suspeitar de que nem tudo o que se produz ali - e com dinheiro público - tem um compromisso efetivo com o conhecimento. É o caso do próprio artigo de Dimas Enéas.
 
O texto tem aquele estilo afetado, a marca própria de ambientes de auto-ensebação acadêmica, onde apenas "iniciados" e militantes estão à altura de compreender a "sublime" tipificação do governo Lula: "modelo de estado fordista fundado numa espécie de neoclientelismo a partir do próprio estado".
 
Para não perturbar excessivamente os "não-iniciados" com outros jogos conceituais, com estereótipos e chavões que pouco ou nada dizem, é salutar ir direto à chave de leitura do artigo. Ela está na conclusão, na qual Dimas Enéas declara que nem tudo está perdido. Para o petista, a "crise política" seria uma oportunidade para "fortalecer um fenômeno social de conscientização política de classes" - o que significa colocar tudo dentro da lente marxista da "luta de classes".
 
A consequência da iniciativa é a distorção dos fatos e a denúncia de uma série de alucinações paranoides. É a artimanha para defender os cupinxas. O leitor pode notar que, no texto, o PT, o "lulismo", a Presidente Dilma - "coitadinhos" - são sempre "vítimas", ou do PMDB, ou da "bancada ultra conservadora do Congresso Nacional", do "jornalismo", de "lideranças políticas neopopulistas" e, claro, das "classes abastadas".
 
Com relação a estas, Dimas Enéas se supera. Das duas, uma: ou é caso de pura má-fé ou sintoma de esquizoidia aguda. Na cabeça do petista, os "escândalos de corrupção" alimentam o "ódio" das "classes abastadas". Como o "governo" nunca as "beneficiou", então elas lançam a calúnia de que se "rouba dos cofres públicos para sustentar um projeto de poder". O leitor que ainda tem pelo menos o dedão de um dos pés na realidade certamente irá se questionar: "eu realmente li isso?"
 
Ora, não é alarde ou invencionice das tais "classes abastadas", são autoridades policiais e judiciais que diariamente revelam os mecanismos do amplo esquema comuno-petista e confirmam a trama para a perpetuação no poder. O "mensalão" foi apenas uma pequena amostra disso - aos poucos as suas extensões estão sendo reveladas, entre elas, na Petrobrás e no BNDES.
 
Dimas Enéas fala em "ódio". Mas, sem um referencial, sem um exemplo sequer do que ele denuncia como "a velha direita racista e conservadora brasileira", parece que é ele mesmo quem, no ato da invenção de "inimigos" malignos para encenar a quixotesca "luta de classes", derrama espuma pelos cantos da boca. E não é por acaso, pois o "ódio" está na essência da "luta de classes". Se o leitor tiver alguma dificuldade em concebê-lo em termos teóricos, basta olhar para os seus efeitos concretos. Para os regimes comunistas, que na sua batalha de "redenção da humanidade" e defesa do "povo" foram - e são - a maior e mais eficiente máquina de produzir cadáveres, miséria e opressão.
 
Para concluir, é interessante olhar para a data de hoje. Certa vez, Dimas Enéas escreveu que Nossa Senhora Aparecida é um mito imaginário criado pela Igreja Católica para fortalecer o poder político do Vaticano no Brasil [3]. Naquela oportunidade, ele desprezou a história e os fatos. Mas, é ele mesmo quem agora tenta lançar uma nuvem "ideológica" para ofuscar as ações daqueles com os quais tem um vínculo partidário. O petista não mede esforços, contorcionismos e afetações acadêmicas para proteger o projeto comuno-petista de poder. É a típica estratégia leninista: acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é. Em meio às dificuldades do momento, os brasileiros celebram a padroeira do país em uma festa de devoção e piedade. No entanto, para Dimas - que também é professor e sindicalista - a "crise política" é a oportunidade perfeita para pregar a "luta de classes", para disseminar o "ódio" que ele diz condenar.
 
REFERÊNCIAS.
 
 
[2]. "A 'Pátria Educadora' comuno-petista: abortismo, pedofilia e gayzismo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/a-patria-educadora-comuno-petista.html].
 
[3]. Cf. "PETISTA afirma: Nossa Senhora Aparecida é uma criação da Igreja Católica" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/06/petista-afirma-nossa-senhora-aparecida.html].

Sunday, October 11, 2015

A Igreja Católica e as expropriações castristas.

Paulino Afonso.


Cubanet, 08 de Outubro de 2015.
Tradução. Bruno Braga.
 

Havana, Cuba - Como no mês passado tivemos uma visita papal em Cuba, isso me fez recordar uma das primeiras medidas descaradas e absurdas de Fidel Castro: a expropriação, em 1961, de todos os centros privados de educação cubanos, entre eles, os colégios católicos.
 
Pregaram nas expropriações a etiqueta de nacionalização, muito em voga na época, embora nenhum desses centros fosse estrangeiro, nem produto de malversações do regime de Batista.
 
Todos os centros educacionais privados, católicos ou laicos, foram postos sob o controle do Estado com o objetivo de "criar o novo homem", que, claro, deveria ser ateu.
 
Creio ser oportuno referir-me a isso, tanto para os jovens que não conhecem o assunto como para servir de recordatório para os velhos sem memória ou que não queiram recordá-lo.
 
Antes de 1959, Cuba era um país formalmente católico. Apesar de se respeitar a liberdade de culto, é inegável que essa religião estava enraizada no povo cubano em geral.
 
Para atender à educação dos filhos da comunidade católica de vários estratos sociais, foram criadas aproximadamente 80 escolas católicas em Cuba, nas quais eram ministradas aulas do primário ao pré-universitário.
 
Na capital havia mais de 20. Em Santiago de Cuba, o principal era o "Colegio Jesuita de Dolores".
 
Relacionarei apenas algumas das principais escolas católicas de Havana: a "Universidad Católica Santo Tomás de Villanueva", a escola jesuita de "Belén" (onde estudou Fidel Castro), os colégios dos "Hermanos Escolapios", o dos "Hermanos Maristas", "La Salle", o do "Sagrado Corazón de Jesús", a escola para meninas e jovens das "Hermanas Ursulinas" e a "Academia Militar San Ignacio de Loyola".
 
Uma vez que estes centros foram construídos em momentos distintos da história republicana, não é fácil determinar o valor da expropriação.
 
Tenha-se em conta que em todas essas edificações trabalharam as melhores e mais caras companhias construtoras que havia em Cuba.
 
De acordo com os processos de construção, e consultando velhos mestres de obra, o custo pode ser estimado em pelo menos 45 milhões de dólares da época, cujo valor com relação ao atual é de oito para um.
 
Se for somado o mobiliário, os equipamentos próprios para a docência e os insumos que essas escolas tinham no momento da confiscação, o valor total deve subir consideravelmente. Pode ser estimado em 70 milhões de dólares da época. Isto só nos centros da capital listados acima.
 
Neste levantamento não estão relacionados os inumeráveis conventos que foram confiscados das diversas ordens de religiosos e religiosas, nem a escola de ofícios, custeada com patrocínio popular, que era conhecida como "Ciudad de los Niños".
 
Situada nas alturas de Bejucal, ao sul de Havana, a "Ciudad de los Niños", no ano de sua expropriação, durante a crise dos mísseis, em 1962, foi transformada em base militar soviética. Depois, por décadas, hospedou uma brigada da defesa aérea.
 
Aparentemente, a Igreja Católica ignorou as perdas econômicas com as expropriações, já que nunca, em nenhuma das visitas papais, foram mencionadas. Se o fez, foi sob sigilo absoluto.
 
Este parece ser um assunto esquecido pelo Vaticano. Ou será que a Cúria perdou essa dívida de Fidel Castro? Se assim for, pode ser considerado um verdadeiro gesto de boa fé.
 
 
LEITURA RECOMENDADA.
 
BRAGA, Bruno. "Francisco: Fidel e a Religião" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/francisco-fidel-e-religiao.html].
______. "Raúl Castro dá ao Papa uma "calurosa bienvenida" comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/raul-castro-da-ao-papa-uma-calurosa.html].
______. "Betto, o 'Senhor Ministro', o 'papa' Boff e os comunistas cubanos no Céu" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/betto-o-senhor-ministro-o-papa-boff-e.html].
 
DONATE OCHOA, Fernando. "Cuba: Pobres 'recolhidos' durante a visita do Papa voltam às ruas". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/10/cuba-pobres-recolhidos-durante-visita.html].